5 dicas de como economizar em uma viagem

Se você está programando uma viagem e busca maneiras de desfrutar de bons momentos sem gastar muito, há dicas preciosas para ajudar nessa missão.

Ao pesquisar preços e encontrar opções mais econômicas, você pode curtir as férias em um destino que era impensável para o seu bolso.

Se antes conhecer algum país da Europa, África ou América do Norte era um sonho, mas você não o cogitava por achar os valores exorbitantes, a realidade hoje é bem diferente.

Isso porque há diversas maneiras de encontrar ofertas e alternativas que deixarão a sua viagem ainda mais interessante, principalmente ao se deparar com preços menores.

Por isso, é de grande importância que você elabore um planejamento prévio, que pode ajudá-lo a definir pontos como:

  • Para onde você deseja ir;
  • Quantos dias você quer passar no local;
  • Qual valor pode ser desembolsado;
  • Quais passeios você deseja realizar.

Com isso, além de garantir muito mais diversão e aproveitar melhor a sua viagem, você não terá surpresas que podem desestabilizar as suas contas. Afinal, quem não se planeja antecipadamente pode acabar sendo surpreendido.

Por isso, selecionamos 5 dias para que você possa economizar, ao mesmo tempo em que desfruta de uma viagem inesquecível.

Dica 01: Encontre boas alternativas de hospedagem

Para curtir adequadamente de uma boa viagem, você não precisa se hospedar nos melhores hotéis de uma cidade.

Existem alguns locais que contam com controle de acesso externo e banheiras com hidromassagem, por exemplo, que possuirão diárias com um valor proporcional ao que oferecem.

Assim como é possível achar locais com preços mais acessíveis, sem que haja uma grande diminuição na qualidade de hospedagem.

Sendo assim, cada vez mais pessoas optam por passar as noites em um hostel, que é composto por acomodações compartilhadas muito mais econômicas.

Além de aproveitar a ocasião para conhecer pessoas, você pode utilizar o valor economizado para investir em outros elementos da sua viagem.

Outra opção é escolher hotéis mais afastados dos grandes centros, que vão deixar o valor da diária atrativo. Assim, você também aprecia melhor o local enquanto se locomove para as regiões que deseja conhecer.

Dica 02: Escolha bem onde fazer as refeições

Em vez de optar por restaurantes mais requintados, você pode buscar por locais que ofereçam refeições rápidas por preços atraentes.

Há diversas lanchonetes e estabelecimentos por quilo, conhecidos por possuir uma balança comercial digital onde o cliente pesa o seu prato e paga o valor proporcional pela quantidade de comida desejada.

Além disso, outra alternativa é se hospedar em locais que incluem café da manhã nas diárias ou disponibilizem alimentação para os visitantes.

Leia também: Melhores cidades para fazer Intercâmbio nos Estados Unidos

Dica 03: Leve pouca bagagem

As companhias aéreas possuem regras com relação ao despacho de bagagens, seja ela uma mochila escolar personalizada ou uma mala com rodinhas.

Além de limitações em relação ao peso e medidas, atualmente é necessário pagar uma taxa extra para despachar os seus pertences, encarecendo ainda mais a sua passagem.

Por isso, uma dica importante é reduzir os itens que você levará para a sua viagem, facilitando o seu deslocamento e diminuindo os custos extras.

Vale lembrar que a sua passagem aérea dá direito a uma mala de mão, sendo uma alternativa utilizar uma ecobag de tecido para os seus passeios.

Dica 04: Crie o seu pacote customizado

Visando a facilidade, muitas pessoas acabam adquirindo pacotes já montados em agências de viagens ou mesmo pela internet.

Porém, uma dica que pode trazer bastante economia para os viajantes é pesquisar os serviços separadamente, escolhendo os itens com preços vantajosos e que atendam às suas expectativas.

As passagens áreas, por exemplo, podem ser adquiridas no site das companhias com descontos interessantes em horários alternativos, principalmente de madrugada.

Já os hotéis podem oferecer pacotes mais vantajosos para quem vai passar vários dias no local, e incluir refeições extras para deixar a oferta ainda mais atrativa.

Dica 05: Escolha o melhor momento para viajar

Por fim, uma sugestão que pode ser ainda mais econômica é sempre optar por viagens fora das altas temporadas.

Os meses de janeiro, julho e dezembro costumam ser os mais caros em termos de passagens áreas e de estadias em hotéis, justamente por causa da grande demanda de famílias que aproveitam as férias para descansar.

Além disso, buscar por esses elementos com bastante antecedência sempre vai oferecer maiores descontos, ajudando também na administração financeira da sua viagem.

Afinal, ao fechar as diárias ou comprar a sua passagem vários meses antes, você consegue pagá-las com mais tranquilidade, fazendo com que você possa viajar sem dívidas acumuladas.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

5 dicas de como interagir com clientes nas redes sociais

As redes sociais mudaram a forma com as pessoas e empresas interagem diariamente. Elas alteraram conceitos que estavam enraizados, e diminuíram o abismo que existia na comunicação entre as marcas e os consumidores.

A internet, por si só, evoluiu a maneira como os veículos de comunicação são usados pelas empresas. Além disso, o público-alvo não é mais uma massa de pessoas desconhecidas, para onde as ações eram destinadas.

Hoje em dia, é possível conhecê-los a fundo, pois são vistos de maneira mais heterogênea pelas organizações.

Os veículos de comunicação, como a TV e o rádio, não são mais os únicos formadores de opinião. O estilo de vida das pessoas passou a ser influenciado, também, pelo que elas acessam na internet, principalmente nas redes sociais.

Inclusive, os consumidores já não são mais receptores passivos de conteúdos, mas também formadores de opinião de empresas.

Isso porque eles conseguem expressar suas ideias por meio de uma simples conta nas redes sociais, referentes a qualquer produto ou serviço. Portanto, há uma interação muito maior entre eles e as empresas.

Neste artigo, abordaremos sobre a importância das redes sociais para as marcas, além de dar dicas de como expandir sua interação com o público-alvo. Acompanhe!

Importância das redes sociais para as empresas

O uso dessas plataformas foi adotado por pessoas do mundo inteiro, e faz parte da rotina de todos. Trata-se de um espaço onde as marcas também precisam estar para interagir com seus clientes e potenciais clientes. Isso porque elas trazem possibilidades como:

1 – Divulgar produtos e serviços

De pequenas a grandes empresas, todas podem usar as redes sociais para divulgar seus produtos e serviços. 

Os meios tradicionais, como a TV custam muito mais caro, o que facilita para uma grande revenda de betoneira 120 litros, mas dificulta para um pequeno negócio.

Além disso, nessas plataformas, existem pessoas interessadas em todo tipo de venda, é possível criar anúncios orgânicos ou investir nos pagos, além de ter uma mensuração de resultados muito mais simples.

2 – Interagir com clientes

Por meio das redes sociais, as marcas conseguem um relacionamento mais estável e uma interação mais customizada com seu público.

É possível responder a comentários, dúvidas e reclamações, incluindo mensagens na caixa de entrada. 

Por conta disso, muitas marcas usam as redes sociais como um verdadeiro complemento – se não o principal meio – de seu atendimento ao cliente.

3 – Fortalecer a imagem da empresa

Uma fabricante de queimador a gás entende a importância de estar presente nessas plataformas, principalmente porque chega a ser estranho não encontrar o perfil de uma marca por lá.

Um perfil no Facebook, por exemplo, permite que os usuários encontrem publicações sobre os produtos e serviços, sobre ações da marca e outros materiais que reforcem a autoridade dela naquilo que faz.

Isso fortalece a imagem da empresa e aumenta a confiança por parte das pessoas, transformando-a em referência para o público.

4 – Compartilhar a visão da empresa

Podemos considerar essas plataformas como uma vitrine virtual das marcas. Isso porque elas podem mostrar, além do que vendem, sua visão, ou seja, aquilo em que acreditam, além de sua visão e valores.

5 – Segmentação do público

Cada vez que uma academia para mulheres postar algum conteúdo nas redes sociais, ela pode fazer a segmentação de suas publicações de acordo com as particularidades de sua audiência.

Por isso, ela é capaz de direcionar seus esforços para aquela parte do público que tem mais afinidade ou interesse com o que será publicado.

6 – Saber mais sobre os clientes

Nessas plataformas, os usuários compartilham muitas informações sobre si mesmos, tais como gostos e desejos. Essas informações podem ser valiosas para que as marcas se aproximem do jeito certo de seu público.

Para isso, elas devem estar sempre atentas para o que realmente é relevante para a sua audiência.

7 – Possibilidade de vendas

Assim como é possível interagir com o público e divulgar produtos e serviços, é possível vender. Isso acontece, em especial, com aquela audiência que possui certo engajamento e aparenta ser mais madura para comprar.

8 – Ambiente controlado pela marca

Seja uma revenda de piso de concreto polido ou uma loja de roupas para pets, o público de cada marca sempre estará nas redes sociais. Portanto, a interação e outras possibilidades são uma realidade para qualquer negócio.

9 – Informação em tempo real

Mensagens urgentes de uma marca podem ser comunicadas instantaneamente nessas plataformas. Isso é muito importante, por exemplo, para otimizar uma gestão de crise.

Nessas situações, é necessário que a empresa se posicione rapidamente, evitando que um problema ganhe maiores proporções.

5 dicas para interagir nas redes sociais

A internet se tornou o principal canal de comunicação atualmente, principalmente pelas redes sociais. Por isso, as marcas devem estar presente nas principais delas, que são:

  • YouTube;
  • Facebook;
  • WhatsApp;
  • Instagram;
  • Messenger;
  • Twitter;
  • LinkedIn;
  • Pinterest;
  • Skype;
  • Snapchat.

Pelo menos no Brasil, essas são as plataformas mais utilizadas, em ordem crescente, de acordo com o relatório “Digital in 2020”, realizado pela We Are Social e Hootsuite.

Mas antes de criar um perfil em cada uma delas, é importante analisar em qual delas se concentra a maior parte do público-alvo de uma empresa. A partir disso, é só seguir as seguintes dicas:

1 – Ofereça um bom atendimento

A instantaneidade é a característica mais marcante de qualquer rede social. Por isso, a interação acontece muito rápido e a todo momento. Sendo assim, os usuários têm pressa quando o assunto é atendimento on-line.

Por isso, se uma pessoa quer esclarecer alguma dúvida sobre projeto de incêndio, por exemplo, a empresa precisa responder as suas mensagens o quanto antes.

Dessa forma, é fundamental contar com uma boa equipe, com profissionais dedicados a responder qualquer dúvida pertinente à empresa, seus produtos ou serviços. E isso pode ser otimizado por meio do uso de um FAQ.

FAQ é uma sigla para Frequently Asked Questions e quer dizer “perguntas frequentes”, em português.

Por meio dele, é possível tirar as dúvidas mais frequentes dos consumidores, através de respostas que já estão prontamente disponíveis.

Essa estratégia responde a tudo de maneira rápida e padroniza respostas, evitando contradições que podem manchar a imagem da marca.

2 – Tenha um ritmo frequente de publicações

Para que a audiência interaja com uma empresa nas redes sociais, ela precisa manter uma frequência de publicações.

Portanto, as postagens precisam seguir um fluxo que não encha a timeline do usuário de atualizações, mas que também não permita que ele se esqueça da marca.

Uma boa dica para fazer isso é usar ferramentas de automação para as redes sociais. Com elas, a empresa consegue organizar de quanto em quanto tempo vai compartilhar posts em seu perfil.

Assim, ela consegue divulgar os conteúdos de seu site e blog, aumentando o engajamento das pessoas em seu perfil nas redes sociais.

3 – Falar a mesma língua dos clientes

Para se aproximar melhor do público-alvo e interagir com ele, nada melhor do que falar a mesma língua. 

Por exemplo, um estabelecimento de vistoria de transferência não vai usar o mesmo tom de voz ou linguagem de um pet shop.

São públicos diferentes e que interagem de maneiras diferentes. Por isso, ao descobrir qual é essa linguagem, utilize termos, emojis, imagens, vídeos e tudo que esteja relacionado à maneira de falar desse público.

Além disso, é importante evitar termos usados apenas por especialistas, além de jargões corporativos e outros componentes que dificultem o discurso.

4 – Entrar na conversa

Nem sempre uma marca precisa esperar que os clientes cheguem até ela. Isso porque uma excelente maneira de interagir é se engajar em outras conversas.

Nas redes sociais, as empresas conseguem encontrar muitas discussões que envolvam seu nome ou o tipo de produto ou serviço que ela comercializa.

Por isso, é interessante olhar essas discussões e participar delas. Inclusive, a maioria dos usuários prefere se relacionar com as marcas que conversam com seus consumidores.

Portanto, conversar com eles e também incentivar sua participação são excelentes maneiras de ser mais social nessas plataformas e melhorar a interação.

5 – Ser atencioso

Algo mais corriqueiro do que se imagina são pessoas correndo para os perfis das empresas nas redes sociais para expressarem sua satisfação (ou insatisfação). E é extremamente importante que as marcas deem atenção a elas nesse momento.

Se elas são constantemente ignoradas, mesmo quando fazem um elogio, acabam desistindo e buscando a concorrência. Portanto, se uma revenda de conexões pneumáticas recebeu um elogio, ela deve responder o mais rápido possível.

Conclusão

As redes sociais são verdadeiras companheiras das empresas, para que estas possam ter interação com o seu público-alvo. Elas facilitam a comunicação e ainda permitem que por meio disso, as empresas identifiquem seus pontos fortes e fracos.

Assim, tanto os clientes de uma fabricante de tinta térmica para telhado, quanto a própria empresa, conseguem estabelecer um relacionamento proveitoso e vantajoso para os dois. 

E por meio de estratégias simples, é possível conquistar o público e se tornar sua marca preferida.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba mais sobre Marketing de Relacionamento

O Marketing de Relacionamento, como o próprio nome sugere, é uma estratégia que visa melhorar a proximidade das empresas com o público, com o principal objetivo de fidelizar os clientes e garantir a satisfação dos consumidores.

Desse modo, a intenção é promover um relacionamento saudável, para que as empresas possam se destacar em um mercado cada vez mais exigente e competitivo.

Afinal de contas, todo mundo gosta de ser bem atendido em uma loja, conversar com vendedores simpáticos e fazer uma compra repleta de benefícios – fatores que são a base de todo o plano de marketing de relacionamento.

Por isso, qualquer empresa, seja ela um pequeno negócio de roupas, um profissional autônomo que dá aula de violão para iniciantes, ou uma grande multinacional, pode incluir o marketing de relacionamento dentro de seus projetos de divulgação.

O artigo de hoje vai mostrar mais sobre o que é marketing de relacionamento e dar dicas de como aplicar a estratégia. Acompanhe!

Mas, afinal de contas, o que é esse tal de Marketing de Relacionamento?

O marketing de relacionamento consiste em um conjunto de ações com a intenção de criar e manter um relacionamento positivo entre empresa e cliente. 

Assim, a proximidade é reforçada com a oferta de benefícios, que asseguram a fidelidade dos consumidores.

Ou seja, o grande objetivo do marketing de relacionamento é transformar os clientes em fãs da marca, para que eles possam colaborar com a divulgação, ao recomendar a sua empresa para outras pessoas.

Imagine, por exemplo, que você está buscando por uma criolipólise de placas, mas se deparou com uma grande afinidade de clínicas de estética. Diante disso, você resolveu optar por um estabelecimento indicado por uma amiga, pois ela disse que o serviço era ótimo, com bons preços e um atendimento diferenciado.

Isso é marketing de relacionamento!

A estratégia engloba alguns pontos principais, como:

  • Construção forte da marca;
  • Fidelização dos clientes;
  • Criação de autoridade no mercado;
  • Contato com o público em diferentes canais;
  • Comunicação próxima com os clientes.

O marketing de relacionamento cria uma relação contínua e progressiva com cada pessoa. Para isso, a estratégia pode fazer o uso de várias ferramentas, desde técnicas mais básicas até métodos elaborados, dependendo das necessidades de cada empresa.

Desse modo, ao construir uma boa fidelização dos clientes, a empresa torna-se referência no mercado, sendo possível conquistar novos consumidores e mostrar o diferencial da marca para o público.

5 dicas para implantar o Marketing de Relacionamento na sua empresa

Para criar um plano efetivo de marketing de relacionamento, o primeiro passo é implantar uma cultura de fidelização dos clientes junto aos funcionários, colaboradores e parceiros. 

Com isso, desde o primeiro contato, é possível estabelecer um bom relacionamento com os consumidores.

Quer dizer, o foco do marketing de relacionamento deve ser pensado para o cliente, desde o sistema de atendimento até o pós-venda, para que essa proximidade seja estendida para próximas operações, seja em produtos ou em serviços.

Abaixo, separamos algumas dicas de como implementar o marketing de relacionamento na sua empresa, que servem para qualquer negócio, incluindo serviços como quiropraxia preço diferenciado. Confira!

1 – Conheça os seus clientes

Já que o marketing de relacionamento é voltado aos clientes, é importante conhecê-los. Isso pode ser feito através de uma pesquisa de mercado, ou com a coleta de dados estatísticos sobre os consumidores.

Outra forma de conhecer os seus clientes é por meio de pesquisas de opinião. Por exemplo, depois de uma aula de música, você pode pedir o feedback do aluno, perguntar sobre o que ele gostou, quais são as críticas, etc.

As pesquisas de opinião podem ser associadas com algum benefício, como por exemplo, brindes ou participação em sorteios. Isso garante que as pessoas respondam mais e, com isso, a empresa tem à disposição uma grande quantidade de dados sobre os clientes.

2 – Faça a segmentação e personalize

O banco de dados dos clientes é fundamental para conhecê-los, mas ele costuma ter diversas informações, que devem ser bem utilizadas. Quer dizer, é preciso saber o que fazer com esses dados.

Um dos critérios para um relacionamento de qualidade é segmentar os perfis, segundo características mais relevantes, criando abordagens mais personalizadas.

Por exemplo, talvez o perfil de clientes que se interessam por um led para piscina seja diferente de um consumidor interessado em outro tipo de iluminação. Assim, ao conhecer as necessidades de cada um, fica mais fácil criar campanhas direcionadas.

Quanto mais detalhada for a segmentação, maiores chances a empresa tem de atingir o cliente ideal.

Leia também: As melhores estratégias de marketing para o ramo industrial

3 – Crie campanhas que incentivam o retorno

Uma maneira muito efetiva de construir um bom relacionamento com seus clientes é fazê-los voltar à comprar com você, por meio de ações que incentivam o retorno, como os programas de fidelidade.

Nestes programas, o cliente adquire um produto, como uma tinta impermeabilizante, e acumula pontos que podem ser revertidos em desconto nas próximas compras. 

Isso faz com que ele sinta a necessidade de comprar de novo, o que ajuda a aumentar as vendas, mas também abre oportunidades para entender melhor o cliente.

As pesquisas de satisfação com benefícios como brindes, também ajudam a incentivar o retorno dos clientes.

4 – Invista na produção de conteúdo especializado

A produção de conteúdo também é uma ótima aliada do marketing de relacionamento. 

Uma das ferramentas mais poderosas é o e-mail marketing, que permite o envio de materiais diretamente aos clientes, de acordo com o perfil de cada um.

Desse modo, é possível criar uma relação de proximidade orgânica, além de contribuir com ações de pós-venda. 

Por exemplo, depois da venda de um gerador eólico, a empresa pode enviar e-mails com dicas de manutenção do equipamento, cuidados, entre outros temas relacionados.

Cartões de parabéns e envio de mensagens em datas comemorativas, por e-mail, também é uma maneira de contribuir com a relação de proximidade.

As ferramentas de automação de marketing podem ajudar muito na produção de conteúdo em e-mail marketing. Elas são capazes de personalizar o envio de mensagens, a partir dos dados de cada cliente, tornando o material único. 

Além disso, a automação permite o envio automático, agilizando a estratégia de marketing.

5 – Faça a mensuração de resultados

Assim como todo planejamento de marketing, também o marketing de relacionamento apresenta resultados que devem ser acompanhados e mensurados pelos estrategistas. Isso ajuda a perceber se certa ação está realmente sendo positiva.

Por exemplo, em uma campanha de divulgação de um extintor co2, com programa de fidelidade, é necessário analisar se o número de clientes participantes é suficiente. 

Desse modo, em caso de resultados negativos, a empresa pode planejar uma nova estratégia.

No caso do e-mail marketing, é possível acompanhar a frequência no envio de mensagens, bem como monitorar respostas, verificar se o e-mail resultou em mais ou menos vendas. Ou seja, compreender o que funcionou ou não, para incorporar as lições aprendidas.

A importância de ouvir o cliente

O marketing de relacionamento é uma via que beneficia a ambos. Afinal de contas, não basta apenas falar com o cliente – é preciso ouvi-lo. Por isso, é importante contar com os canais certos para uma comunicação efetiva e assertiva.

Muitas empresas não conseguem implantar a estratégia do marketing de relacionamento com sucesso justamente por não contar com um meio adequado para receber reclamações, ou para responder às perguntas dos clientes.

Em outros casos, o canal pode até existir, mas não funciona como deveria.

Por isso, também é necessário pensar nos melhores meios para manter o contato com o cliente. Até mesmo as próprias redes sociais podem auxiliar nisso, se a empresa focar em um plano de resposta diretamente nessas plataformas.

A dica é ter um canal de ouvidoria menos burocrático e mais preparado para o diálogo transparente, objetivo e eficiente com o consumidor.

Conclusão

O marketing de relacionamento pode ser um artifício bastante vantajoso para as empresas, visto que ele tem como principal foco o relacionamento com o cliente e a construção de uma marca forte, com autoridade no mercado. 

No entanto, para a conquista de resultados positivos, é preciso conhecer bem quem são seus clientes, como eles se comportam e quais seus interesses, para focar em ações assertivas e que tenham impacto na empresa (como o aumento de vendas e fidelização do público, por exemplo).

Além do mais, a cada dia que passa, as pessoas se voltam mais para as empresas que ofereçam um bom atendimento e tenham conteúdos personalizados, longe da propaganda massiva e invasiva de antes. 

Daí a necessidade de investir em marketing de relacionamento, afinal de contas, todo mundo gosta de ser bem atendido e o principal: ser ouvido.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

As melhores estratégias de marketing para o ramo industrial

Engana-se quem pensa que a indústria também não merece um bom planejamento de marketing. Aliás, existem estratégias voltadas especificamente para esse ramo de negócios, com técnicas próprias para a divulgação de negócios B2B (Business to Business) e para o setor industrial.

É um marketing especificamente voltado para outras companhias, ou seja, ele não se destina ao consumidor final.

Para entender melhor, imagine que uma indústria venda chapa de ferro fundido para outra indústria que trabalha com a transformação de metais. O marketing industrial trabalha exatamente nessa relação: de venda de uma organização para outra.

Vale dizer que as indústrias são responsáveis por cerca de 12% do PIB nacional, com grande participação da economia global. 

Apesar dos atuais desafios de crescimento, com os cenários de recessão econômica, o marketing tem sido um grande aliado para o setor, propondo novas estratégias de inovação.

O artigo de hoje vai mostrar quais são as melhores estratégias de marketing para o ramo industrial e dar dicas de como implantar essas técnicas dentro da sua empresa.

Quer saber mais? Então, acompanhe a leitura!

O que é Marketing Industrial?

O marketing industrial pode ser definido como uma ação entre duas empresas, sendo uma solução especificamente criada para companhias, com o objetivo de direcionar a mensagem para outras organizações.

Portanto, diferentemente do marketing convencional, estamos tratando de uma estratégia personalizada, que lida com um público qualificado e que tem informações sobre o negócio. 

Ou seja, o marketing industrial trabalha com um recorte de pessoas que têm um conhecimento diferente do grande público.

Por exemplo, quando se fala de solda exotérmica, normalmente as indústrias já sabem do que se trata. Daí, o marketing industrial precisa formular campanhas para divulgar esse serviço, levando em conta o conhecimento prévio das demais organizações.

Além disso, a ideia do marketing industrial é construir relações sólidas e duradouras entre as empresas, criando condições para a existência de grandes vendas a longo prazo.

Quer dizer que a relação de compra não se dá somente entre a venda de um produto ou serviço, mas da criação de acordos entre as companhias, referentes tanto a produção, quanto a comercialização e envio de insumos.

Percebe-se que o processo de venda entre empresas é mais complexo e, por conta disso, exige outros tipos de estratégias.

Uma das técnicas inclui o uso de ambientes digitais, acompanhando o novo comportamento do consumidor B2B. 

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo Google, cerca de 89% dos compradores entre empresas pesquisam por fornecedores na internet, se envolvendo com a marca e descobrindo novos conteúdos antes de fechar acordos.

Na prática, se um centro de armazenagem está procurando por uma empilhadeira manual, o estabelecimento irá fazer uma busca na internet e, somente depois de avaliar as opções, fará uma escolha que não resulta somente em uma única compra, mas sim, pode valer um relacionamento duradouro.

Por isso, o marketing industrial envolve uma série de estratégias para a criação de conteúdo, presença digital, relacionamento com o público e outras ações que potencializam o brand-awareness (consciência de marca), o ROI (Retorno sobre o Investimento) e a conquista dos leads (potenciais clientes).

4 estratégias de marketing industrial

Quando usado de maneira estratégica, o marketing industrial é capaz de aumentar consideravelmente os lucros de uma organização. 

Além disso, essas ações são capazes de diferenciar as empresas da concorrência, colaborando com a criação de valores e impactando de forma positiva os clientes.

Contudo, é preciso escolher bem as estratégias, já que, principalmente o ambiente digital, oferece diversas ferramentas para divulgação e promoção de marca.

Sendo assim, separamos algumas estratégias que podem ser usadas no marketing industrial e são válidas para todas as indústrias, desde as que trabalham com o fornecimento de matéria-prima, até as de transformação de insumos, como o ramo de gravação a laser. Confira!

1 – Use técnicas de SEO

O SEO (Search Engine Optimization), ou otimização para os mecanismos de busca, é um conjunto de técnicas aplicadas em website e blogs, com o objetivo de melhorar a classificação de uma página nos buscadores, como o Google.

Ter um bom posicionamento entre os resultados de pesquisa é algo extremamente importante, especialmente para os negócios B2B.

De acordo com o próprio Google, 71% dos pesquisadores de B2B fazem uma busca com pesquisa genérica, realizando uma média de 12 pesquisas, antes de decidir por uma marca específica.

Uma das principais técnicas de SEO é o emprego de palavras-chave ao longo de um conteúdo. Por exemplo, o termo “regua digital”, quando aplicado em um artigo de blog, pode receber uma boa classificação, pois o Google irá direcionar o seu conteúdo para os usuários que buscarem este componente.

Além das palavras-chave, o SEO também engloba outras estratégias, como:

  • A produção de conteúdo relevante;
  • O uso de hiperlinks ao longo do material;
  • Criação de ativos de marketing digital (conteúdos compartilháveis);
  • A construção de um site responsivo para dispositivos móveis.

Quanto melhor o seu posicionamento dentro do Google, maiores são as chances de fechar vendas e aumentar a lucratividade.

2 – Invista em links patrocinados

Os links patrocinados nada mais são que anúncios pagos dentro da internet. Por exemplo, quando procuramos por uma estrutura metálica para telhado no Google, os links patrocinados aparecem antes dos resultados de pesquisa orgânicos (não pagos).

Essa estratégia pode ser altamente vantajosa para empresas que desejam obter resultados a curto prazo, como o aumento de visitantes no site.

Além dos links patrocinados no Google, as próprias redes sociais contam com plataformas para a criação de anúncios. 

O Facebook Ads, por exemplo, permite a segmentação da propaganda, ou seja, o conteúdo somente aparecerá para pessoas realmente interessadas no seu negócio.

3 – Esteja presente nas redes sociais

Muitas pessoas acreditam que as redes sociais somente são válidas para empresas que vendem diretamente para os consumidores finais. 

Entretanto, esses canais também podem ser usados para a divulgação de produtos e serviços B2B.

Além dos anúncios patrocinados nas redes, para anúncio de produtos, como um barramento neutro, direcionado para um público específico, as redes sociais também podem ser consultadas por outros interessados, que desejam pegar informações sobre a empresa.

De acordo com informações da pesquisa Social Media Trends, cerca de 94% das empresas estão presentes nas redes sociais, incluindo os negócios B2B.

Veja também: Saiba mais sobre Marketing de Relacionamento

3 – Produza conteúdo de qualidade

O marketing industrial requer uma produção de conteúdo de qualidade. 

Isso pode ser feito com o compartilhamento de textos em um blog, mas também a produção de outros materiais interessantes, como um vídeo tutorial do funcionamento de uma chave de impacto pneumática, e outras opções.

Por meio da produção de conteúdo, a sua empresa pode não somente oferecer informações relevantes acerca de um produto ou serviço, mas também educar o seu público sobre algumas especificidades do seu negócio.

Além do mais, é por meio de conteúdos que a sua marca alcança mais visibilidade e é capaz de se tornar uma autoridade no segmento.

Como consequência, há um destaque maior da concorrência, o que resulta em mais visitantes para o seu site e, muito provavelmente, mais acordos fechados.

Para produzir conteúdo de qualidade voltado à matéria-prima, é importante falar sobre prazos e cadeia logística, fatores que influenciam a decisão dos fornecedores, pois eles querem firmar um acordo para não comprometer a produção.

Sendo assim, no marketing industrial, o planejamento é a chave da produção de conteúdo, envolvendo a análise de mercado em que a sua indústria está inserida, bem como a identificação do público-alvo.

Quando bem feito, o marketing de conteúdo é capaz de gerar até 3 vezes mais leads, além de ter um custo 62% menor, em relação às demais campanhas de divulgação.

4 – Faça uso de ferramentas de automação de marketing

As ferramentas de automação de marketing também são muito eficazes para o ramo industrial, pois elas abrem possibilidades de ofertar conteúdos interessantes, de maneira segmentada e personalizada.

Há diversos recursos que podem ser usados, como por exemplo, a automação de e-mail marketing, ou mesmo os próprios elementos dos anúncios patrocinados, como o Google AdWords e o Facebook Ads, que oferecem inúmeras possibilidades de segmentação.

Conclusão

O marketing industrial tornou-se indispensável para os negócios B2B, em especial com o crescimento da internet, expansão dos meios de comunicação e a mudança do comportamento dos consumidores.

Hoje em dia, é preciso estar presente no ambiente virtual, muito por conta do grande impacto dos meios digitais, mas também pela possibilidade de alcançar reconhecimento, que se traduz em vendas e fidelização dos clientes.

Diante desse cenário, é importante conhecer as inúmeras estratégias de marketing digital e, com isso, incrementar o planejamento da sua indústria na divulgação, captação de clientes e construção de relacionamentos com o público.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

Entenda a importância do funil de vendas para casa e construção

O funil de vendas é uma estratégia muito eficiente para acompanhar a trajetória dos clientes, desde o primeiro contato com a empresa, até o fechamento do negócio, que pode ser a compra de um produto ou serviço.

Para o ramo da casa e construção, o funil ajuda a perceber quais são os interesses dos consumidores, sendo possível orientar estratégias específicas e, com isso, conquistar melhor o público.

Afinal de contas, não são todas as pessoas que se interessam por um elevador de carga, por exemplo, já que este equipamento é bastante singular, além de ser usado somente em alguns trabalhos dentro do setor de casa e construção.

Diante do exemplo, percebe-se que não vale a pena “atirar para todos os lados”, mas sim, focar em um perfil específico, direcionando as ações de marketing e, com isso, tendo melhores chances de fechar uma venda.

Portanto, o artigo de hoje vai mostrar a importância do funil de vendas para casa e construção e como usar a estratégia na sua empresa. Ficou interessado(a)? Então, acompanhe a leitura!

O que é funil de vendas?

O funil de vendas, ou também chamado de pipeline, é uma técnica que mostra a jornada do cliente. Através da representação gráfica, é possível acompanhar todo o caminho que o consumidor realiza, até decidir pela compra.

O principal objetivo é fazer o acompanhamento do público, desde o momento em que ele toma conhecimento de uma solução vendida, até o fechamento no negócio.

Pensando no ramo de casa e construção, podemos usar como exemplo a seguinte situação: quando um usuário procura na internet um bloco concreto e se depara com um artigo da sua empresa, ele está iniciando o caminho pelo funil. A conclusão será no momento da compra.

O funil de vendas é formado por um conjunto de etapas e gatilhos, que visam dar um suporte à jornada de compras. Ou seja, é possível visualizar quais ações podem influenciar na decisão do cliente e, assim, aproximá-lo da finalização do negócio.

Mas como funciona o funil de vendas?

Em primeiro lugar, precisamos ter em mente que o processo de compra não é homogêneo. Ou seja, os clientes não buscam por uma manta impermeabilizante e logo de cara realizam a compra. Ao contrário, esse processo ocorre por etapas.

Isso quer dizer que o cliente passa por vários momentos, que revelam se ele está realmente próximo de realizar a compra, ou prestes a desistir.

Desse modo, a empresa pode usar de artifícios para influenciar o cliente e, com isso, contribuir para que ele realmente se interesse em fazer a compra – incluindo o momento em que ele ouviu falar da solução pela primeira vez, até o pós-venda, quando ele pode recomendar o seu produto.

Quer dizer que o funil de vendas é usado para determinar o nível de maturidade do cliente, em relação à decisão de compra. O modelo é dividido nas seguintes partes:

  • Topo de funil: o momento da descoberta;
  • Meio de funil: consideração da solução;
  • Fundo de funil: a decisão de compra;
  • Pós-venda: fidelização do cliente.

Ao compreender cada uma das etapas, é possível usar de ferramentas para guiar os clientes e, com isso, aumentar as chances de venda.

As etapas do funil de vendas: da descoberta ao pós-venda

O funil de vendas pode ser usado tanto para a comercialização de produtos quanto serviços, como um trabalho em altura, por exemplo.

Em geral, ele é dividido em quatro partes, mas nem sempre a etapa de pós-venda está incluída na estratégia, já que o cliente concluiu a compra.

Neste artigo, resolvemos considerar o pós-venda, pois acreditamos que a construção de um relacionamento saudável com os clientes é tão importante quanto as técnicas de venda.

Topo do Funil (ToFu): aprendizado e descoberta

O topo do funil, ou ToFu, é a etapa da consciência. Até aqui, a pessoa não conhecia o seu produto ou serviço, sendo indiferente à própria necessidade. Quer dizer que ela não buscava nenhuma solução, pois desconhecia a demanda.

Mas ao ter o primeiro contato com a sua empresa, a pessoa compreende que existe um gaps e irá procurar mais informações sobre o produto ou serviço.

Por exemplo, quando alguém precisa fazer uma limpeza pesada, ela pode buscar por algumas alternativas e a sua empresa pode oferecer o serviço de hidrojateamento, que até então, poderia ser desconhecido.

Diante disso, o topo do funil é o momento de se colocar como especialista.

Isso pode ser feito com o fornecimento de materiais informativos, para ajudar o visitante a diagnosticar o problema. Assim, quando existir uma dúvida, ele irá procurar por você.

Dentro do marketing digital, o topo de funil é o local em que estamos lidando com os usuários visitantes do seu site. Ou seja, eles chegaram até a sua página de alguma forma, mas ainda não têm conhecimento suficiente sobre o seu negócio.

Por isso, é a hora de educá-los, por meio de conteúdos explicativos, ricos e relevantes. Desse modo, há mais chances de converter os usuários em leads (potenciais clientes) e fazer com que eles andem pelo funil.

Meio do funil (MoFu): a consideração de uma solução

O meio do funil marca a passagem da primeira para a segunda etapa do funil de vendas. Aqui, ocorre o reconhecimento do problema pelo cliente.

Em resumo, significa que o usuário leu sobre o assunto, conhece o seu negócio e reconheceu que precisa de uma solução. Por isso, ele busca alternativas para seus problemas e, se ele se interessar pela sua empresa, há chances de fechamento do negócio.

No meio do funil estamos lidando com os leads, que são os usuários que já consumiram o conteúdo e, para aprofundar os conhecimentos, forneceram algum contato para a empresa.

Por exemplo, o usuário pode fornecer um e-mail em troca de um webinar sobre os procedimentos técnicos para o uso de uma solda aluminio.

Importante ressaltar que o lead ainda não sabe muito bem como resolver o seu problema, por conta disso, ele considera diversas opções, incluindo a compra de um produto ou serviço. 

Mas para isso, é preciso que ele não tenha dúvidas sobre a qualidade do seu negócio.

É fundamental deixar claro para os leads que a intenção da empresa é ajudar e não somente vender o produto ou serviço. Ou seja, é preciso estabelecer uma relação de confiança, para que o lead se sinta confiante para fechar negócio.

Fundo do Funil (BoFu): a realização da compra

O fundo do funil concentra a decisão de compra. Nesta etapa, temos os leads qualificados, que são os potenciais clientes que já passaram por todo o processo de educação e estão prontos para entrar em contato com o vendedor, para concretizar a compra.

O lead qualificado sabe que não irá conseguir resolver o problema sozinho, por isso, sabe que precisa adquirir um produto ou serviço.

Por exemplo, ele já percebeu a necessidade de uma tela para mosquito, depois de avaliar as várias opções para conter insetos dentro de casa.

No fundo do funil, o vendedor pode dar aquele famoso “empurrãozinho”, para influenciar o lead a fazer a compra. Para isso, vale a pena destacar os benefícios do produto ou serviço, bem como o melhor custo-benefício.

Pós-venda: o relacionamento com o cliente

Apesar do pós-venda não fazer parte de todos os funis de venda, ele é uma etapa importante nas estratégias de marketing para o ramo da casa e construção. 

Afinal, é possível firmar um relacionamento com os clientes, fazendo com que eles se tornem “fãs” da marca e, assim, possam recomendar a empresa para outras pessoas.

Uma maneira é perguntando a opinião dos clientes após a compra. Por exemplo, o que o consumidor achou da proveta graduada, se há um elogio, crítica ou dúvida.

No pós-venda, a empresa deve concentrar esforços para ouvir o cliente, além de manter um contato regular com o público, para que eles não se esqueçam do seu negócio.

Conclusão

O funil de vendas é uma representação gráfica, usada para identificar as etapas da jornada de compra do cliente, sendo possível acompanhar aonde ele está – mais próximo ou mais afastado da concretização do negócio.

Esse modelo é muito usado dentro das estratégias de marketing, visto que ele pode ajudar as empresas a compreenderem o que o cliente quer e qual o melhor momento para enviar um determinado conteúdo.

Além disso, por meio do funil de vendas, a produção de materiais de divulgação torna-se mais assertiva e direcionada, com conteúdos personalizados, orientados às necessidades de cada cliente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Conheça três séries premiadas para você assistir no NOW

O texto a seguir foi escrito para ajudar aquelas pessoas que estão cansadas de rodar por todas as plataformas de streaming da internet e que nunca encontram nada que realmente agrade para assistir. 

É verdade que existe uma enorme diversidade de títulos de séries espalhados pela internet, mas será que todos eles são bons? 

Os seriados nem sempre serão interessantes ou terão roteiros bem escritos, elenco composto por bons atores etc, por isso, vale a pena pesquisar se eles foram indicados ou premiados por algum grande evento como o Emmy, pois essa é a única garantia que você terá de que aquele título vale a pena. 

O NOW, a plataforma on-demand da Claro, disponibiliza em sua plataforma alguns títulos premiados, então confira nossas dicas de séries para assistir no NOW: 

Três séries premiadas para assistir no NOW

  • Game of Thrones – 2011

A série lançada em 2011, é uma adaptação dos livros de George R.R. Martin, produzida pela HBO e possui oito temporadas.

Ambientada em Westeros, uma terra reminiscente da Europa Medieval, onde as estações são muito bem definidas e podem anos, décadas ou eternamente, forças sobrenaturais correm as portas dos Sete Reinos e toda a população deve se proteger dos Caminhantes Brancos. 

Além de todas as coisas que assombram os Sete Reinos, eles ainda enfrentam uma longa batalha onde duas famílias dominantes estão lutando para ter o controle do Trono de Ferro.

Game of Thrones é uma série indicada para aqueles que gostam de muita ação, batalhas sangrentas e produções gráficas incríveis.

  • This is Us – 2016

This is Us é uma pedida perfeita para aqueles que amam séries de drama e querem chorar até desidratar na frente da televisão. 

A série é uma crônica, que narra problemas cotidianos que todos nós podemos enfrentar, mas que dentro da história tem personagens determinados para viver certas coisas, sendo eles: Jack e Rebecca (casal), Kevin, Kate e Randall que são irmãos.

A cada episódio, você poderá acompanhar a vida desses personagens em linhas temporais distintas, em formas de flashbacks, para entender como aquela pessoa se transformou no que ela é naquele momento e como o passado foi capaz de torná-la na sua atual versão.

A série apresenta momentos de amor e de dores que vão moldando o destino de todos de formas definitivas. 

O seriado tem apenas quatro temporadas.

  • Chernobyl – 2019

Chernobyl é uma minissérie que conta com apenas uma temporada de cinco episódios e retrata a história do maior acidente nuclear que já aconteceu no mundo, que foi quando o Reator 4 da Usina Nuclear de Chernobyl explodiu.

Ela foi escrita por Craig Mazin e conta de uma forma explícita como esse acidente foi cruel e capaz de dizimar uma cidade inteira, enquanto os diretores da usina nuclear tentavam abafar o caso na mídia e fingiam que não era nada demais. 

Misturando a ficção com a realidade, Craig também quis mostrar como homens e mulheres dedicaram suas vidas para salvar a Europa desse grande desastre. 

As cenas da minissérie são impactantes e fortes, fazendo com que os telespectadores sintam agonia ao vivenciar os fatos de tudo o que aconteceu em Chernobyl.

Assine Claro TV e tenha acesso ao NOW

Para você conseguir assistir as séries que indicamos no NOW, é necessário que você seja um assinante Claro TV.

Ao assinar a Claro TV, você terá automaticamente, de forma gratuita, acesso a todo o conteúdo exclusivo do NOW.

O NOW oferece uma infinidade de conteúdos, como: documentários, séries, filmes, desenhos, reality shows etc. Ele também lhe permite assistir a programação da Claro TV onde você estiver, basta baixar o aplicativo no dispositivo que quiser e aproveitar.

Seja um cliente Claro TV e mude o seu jeito de consumir conteúdo on-demand.

Leia também: Extraordinário filme completo: conheça a história do filme Extraordinário

Conheça os Principais Tipos de Filtros Hidráulicos

Para que máquinas e equipamentos tenham um funcionamento correto em indústrias e usinas, é importante que o conjunto de componentes contidos neles estejam trabalhando bem.

Os filtros hidráulicos, por exemplo, são itens designados a separar substâncias contidas no fluido de um sistema hidráulico e consequentemente manter o nível de contaminação do sistema estável. 

Ou seja, os filtros são essenciais para dar mais proteção e evitar o desgaste prematuro do sistema.

Agora me diz uma coisa, você sabe quais são os tipos disponíveis de filtros hidráulicos no mercado e quais são as características de cada um? 

Continue acompanhando a leitura deste artigo, pois você irá descobrir!

Tipos de filtros hidráulicos

Filtro de pressão

Este primeiro tipo de filtro fica localizado logo após a bomba e é dimensionado para uma faixa específica de fluxo na linha de pressão. 

Ele é projetado para proteger o sistema de pressão e especialmente os componentes mais sensíveis do lado filtrado do filtro, como as válvulas direcionais.

A função do filtro de pressão é proteger sistemas complexos e os componentes críticos de partículas que possam ocasionar uma queda na performance dos motores hidráulicos ou das válvulas. 

Além disso, este tipo de filtro permite a utilização de elementos de alta frequência e filtragem fina.

Filtro de sucção

A função deste segundo filtro é proteger a bomba de contaminação de fluidos, sendo que ele pode ser montado externamente (muito mais fácil de fazer a manutenção) ou pode estar submerso. 

Além disso, podem ser de tela metálica ou papel com reforço.

Vale ressaltar que como o filtro de sucção possui refis abertos, não são indicados para uma proteção primária contra contaminação.

Filtro offline

Independente do sistema hidráulico, este tipo de filtro é responsável por limpar o fluido antes de entrar no sistema. 

E como funciona isso? O fluido é aspirado do reservatório por meio de um filtro e assim a ele retorna.

A composição do filtro offline é: bomba, filtro, motor elétrico e sistema de conexões.

Filtro de retorno

Geralmente instalado acima do reservatório, este filtro está diretamente relacionado ao retorno do óleo ao tanque hidráulico. 

Faz-se uma captura das partículas que entram pelas vedações e também de resíduos produzidos pelo desgaste das peças. 

É uma ótima opção quando a bomba é um componente sensível no sistema e previne a contaminação entre o circuito via tanque e a bomba.

5 Dicas Para a Sua Primeira Viagem Internacional

Planejar uma viagem internacional pode se mostrar uma tarefa bastante complicada, principalmente se for a primeira vez que viaja para fora do Brasil. Isso porque as culturas são muito diferentes, além das leis, tarifas de câmbio, passagens aéreas e roteiro de passeios. 

Pensando nisso, separamos 5 dicas fundamentais para quem vai fazer sua primeira viagem internacional. Confira! 

1. Veja os documentos e exigências do destino

Sair de um país para entrar em outro pode incluir uma série de burocracias, como os procedimentos de imigração. Por isso, é importante verificar todos os documentos que podem ser solicitados nesse momento e deixá- los em ordem para poder seguir viagem tranquilamente

Os mais importantes são: 

  • Passaporte;
  • Visto;
  • Certificados de vacinas. 

2. Pesquise muito

Pesquisar sobre seu destino é sempre importante para o planejamento do passeio. Dessa forma é possível elaborar um roteiro mais eficaz, com passeios que combine com você e seu grupo, e também, se preparar para a quantia que deverá levar, mudanças de clima e fuso horário. 

Durante essa pesquisa defina o orçamento da viagem para não correr o risco de levar menos do que deveria e comece a trocar a quantia com antecedência em casas de câmbio, assim é possível economizar, já que os valores das moedas estrangeiras costumam variar o preço. 

Veja também: 5 dicas de como economizar em uma viagem

3. Faça um seguro viagem

Não importa pra onde você vai, fazer um seguro é sempre a melhor opção quando o assunto é viagem internacional. Imprevistos acontecem o tempo todo, e em um país desconhecido pela primeira vez, a melhor opção é estar protegido para não gastar ainda mais com coisas emergências. 

4. Viaje leve, mas seja inteligente

O primeiro pensamento dos brasileiros quando viajam para fora do Brasil é fazer compras, visto que os valores dos produtos costumam ser mais em conta. Sendo assim, se pretende seguir essa linha de raciocínio é importante fazer uma mala mais compacta, para que não de excesso de bagagem na volta. 

Para isso é preciso ser inteligente ao escolher as roupas que vai levar, optando sempre por roupas e sapatos confortáveis e versáteis, que combinam com quase todas as ocasiões.  O ideal é que uma peça de roupa combine com mais umas três que estão na mala. 

Além disso, separe uma muda de roupas confortáveis e itens necessários para a bagagem de mão, assim, caso a mala seja extraviada, você terá consigo os produtos básicos para a necessidade até que a outra seja devolvida.

5. Prepare-se para o aeroporto

Um vôo internacional é bem diferente de um doméstico. Por isso, as companhias sempre pedem que o passageiro chegue com três horas de antecedência para realizar o check- in. Por isso, saia de casa com tempo sobrando e avalie como está o trânsito. 

Outra dica é deixar o carro em um estacionamento próximo aeroporto Guarulhos, visto que a maioria deles oferecem translado até o aeroporto, garantindo segurança para o seu veículo durante a viagem e, evitando que você perca o voo. 

Caso ele tenha conexões, tome cuidado. Tente encontrar seu portão de embarque antes de qualquer outra coisa, assim você evita de se entreter com lojas e perder o horário, já que alguns aeroportos costumam ser bem grandes. 

Para que serve o teste de velocidade?

O teste de velocidade é importante para saber se o usuário está utilizando realmente a velocidade que foi contratada. Mas para que o teste seja efetivo, é necessário que ele seja feito corretamente.

O seu resultado é sempre o valor disponível de banda não utilizada no momento. Sendo assim, se você contratou um plano com 20MB e durante o teste utilizou 8MB de download, o seu resultado será de 2MB.

Mas você pode estar se perguntando como é possível fazer um teste de velocidade e se esses valores são reais. Tire suas dúvidas.

O que você deve saber sobre o teste de velocidade

É fundamental que o teste de velocidade seja realizado diretamente do seu cabo de rede. Se o teste for feito na Wireless, possivelmente por conta dos roteadores ou outros dispositivos, a internet transmitida poderá não ser a mesma recebida.

No entanto, existem muitos motivos para que haja lentidão, quedas e perda de pacotes, e um deles é a falha dos equipamentos. Outrossim, feche os programas como Torrent e Skype, para que sua utilização não atrapalhe o teste de velocidade.

Analisando o teste de velocidade

Ao iniciar o teste, a ferramenta na qual você escolher irá identificar o IP do seu celular, computador, tablet ou qualquer outro dispositivo.

O IP é o endereço da rede. Ele serve para identificar quem é o usuário. Após aguardar alguns segundos, você terá acessos à informações como:

  • Velocidade de download
  • velocidade de upload
  • Ping

Você pode se interessar por: Teste de velocidade: 4 motivos para usar um teste de velocidade de internet constantemente

Como fazer um teste rápido?

Agora que você já sabe as informações principais de um teste de velocidade, abra qualquer ferramenta de teste disponibilizada através da internet e realize a ação.

Depois é só analisar os dados oferecidos e se a sua internet tem cumprido com a velocidade oferecida. É muito tranquilo e rápido.

Marketing Offline: 4 Estratégias Que Podem Ser Úteis Para o Seu Negócio

No mundo atual, quando se fala em marketing, o principal tipo que vem na cabeça das pessoas é o digital, ou seja, online.

E, de fato, isso faz total sentido, pois investir em marketing digital é um excelente meio para conseguir mais vendas e melhores resultados.

Porém, existem certas estratégias de marketing offline que também podem ser bastante úteis para negócios e é sobre isso que vamos falar no artigo de hoje. Veja!

O Marketing Offline

Décadas atrás, quando a internet ainda não havia surgido, o marketing offline era a única maneira que as empresas tinham para divulgar seus produtos/serviços ao seu público-alvo.

Porém, com o avanço das tecnologias e com a aparição da internet no mundo, muita coisa mudou, inclusive o modo de se fazer marketing.

Com isso, muitas pessoas perguntam-se hoje em dia se ainda vale a pena investir em marketing offline e, dependendo da sua área de negócio, vale e muito.

Afinal, as pessoas, ou melhor, os consumidores não ficam 24 horas online. Eles andam pelas ruas, ouvem rádio, assistem TV, leem jornais e revistas… ou seja, transitam entre o mundo online e offline. 

Portanto, existem oportunidades aí também. 

O melhor dos caminhos para potencializar suas vendas e seus resultados é investir nos dois meios, tanto online, quanto offline.

Agora confira a seguir as 4 principais estratégias offline para você implementar em seu negócio.

1) Outdoors, cartazes e/ou panfletos

Você já ouviu a expressão “quem não é visto, não é lembrado”? Pois é, se você quer que o seu negócio cresça e tenha mais visibilidade, uma das estratégias offline que você pode investir é em outdoors, cartazes e/ou panfletos.

E lembre-se: essas formas de anúncios precisam ser objetivas, com um layout limpo e um design atrativo. Não adianta colocar diversas informações, pois só os deixarão “poluídos” e provavelmente serão ignorados.

2) Jornais e revistas

Se o seu público-alvo costuma ler jornais e/ou revistas com frequência, não tem porque não investir em anúncios nesses dois meios de informação!

Apesar de ser uma estratégia que precisa de um investimento um pouco maior, ela é bastante eficaz se você estiver anunciando para as pessoas certas.

E você não precisa necessariamente anunciar em jornais e revistas de grande circulação, talvez um anúncio em um impresso local, da região onde você trabalha já possa trazer resultados satisfatórios.

3) Brindes

As pessoas gostam de ganhar brindes, isso é fato. Portanto, que tal utilizá-los como parte da sua estratégia de marketing offline?

Por exemplo, você pode distribuir canecas personalizadas, calendários, agendas e outros itens com o logo ou nome da sua marca. 

Isso cria empatia, já que a pessoa recebe um “mimo”, algo que a sua empresa preocupou-se em fazer e dar a ela.

E assim quando a pessoa for utilizar um desses itens, verá e se lembrará da sua marca.

Sem contar que ela divulgará indiretamente a sua empresa. Por exemplo, você dá garrafinhas/squeezes personalizados com a sua marca. Quando estiverem usando esses itens no trabalho, na academia… outras pessoas estarão vendo também.

4) Participação em feiras e eventos

Por fim, a participação em feiras e eventos relacionados a sua área de atuação. Além de ser uma ótima maneira para conquistar novos clientes, também proporciona um ótimo networking, o que ajuda a expandir os negócios, bem como a exposição da marca.

E então, o que achou das nossas dicas de marketing offline? Você já aplica alguma dessas estratégias? Conte nos comentários logo abaixo!