Você sabe o que é uma empresa sustentável?

Atualmente ninguém pode ignorar a importância das normas ambientais, da preservação da natureza e dos recursos de que todos nós precisamos para a manutenção da vida. Nesse cenário uma empresa sustentável também desenvolve um papel essencial.

No entanto, posturas ditas “ecologicamente corretas” nem sempre significam que uma empresa realmente se tornou sustentável no melhor sentido do termo.

São conhecidas as iniciativas de marcas que defendem a natureza e o “verde”, ou mesmo de corporações que “adotam” praças e parques próximos do endereço físico da empresa. 

Mas, nada disso garante, por si só, a sustentabilidade de um negócio. A verdade é que esse é um conceito que se relaciona com vários outros, tais como:

  • A preservação real do meio ambiente;
  • A boa administração dos recursos financeiros;
  • A boa gestão dos recursos humanos;
  • Investimento em tecnologia e desenvolvimento;
  • Atendimento às normas e legislações.

Ou seja, não se trata apenas de “plantar árvores”, como pode parecer em um primeiro momento ou mesmo de sair em defesa da fauna e da flora em um sentido genérico do termo, e de condenar em público os vários tipos de poluição existentes.

Um bom planejamento de empresa sustentável começa na própria cultura organizacional da marca. De fato, o negócio já deve ser concebido para ter uma gestão de processos e de pessoas que permita um crescimento escalável.

Assim, deve existir uma harmonia muito forte internamente, entre cada um dos funcionários (desde os mais operacionais até os mais estratégicos), bem como entre aquela empresa e as demais, e entre a marca e a sociedade como um todo.

Uma empresa que esgota seus recursos, sem a capacidade de enxergar no médio e longo prazo e sem um planejamento que permita a reposição e continuidade do processo, não será sustentável jamais.

Isso já deixa claro como o bem-estar dos funcionários pode ser tão importante quanto as questões ecológicas e ambientais que são pertinentes a cada segmento.

É nesse sentido que abordaremos o assunto aqui, mostrando os traços principais das empresas que são realmente sustentáveis, os benefícios e vantagens que esse tipo de cultura proporciona e como aderi-la em seu próprio negócio.

O sentido mais óbvio da “sustentabilidade”

Nos últimos anos surgiu um fenômeno pouco louvável que acabou ficando conhecido como “marketing verde”. Trata-se daquele esforço insincero que algumas corporações têm de defender o “ecologismo” só para sair bem na foto.

Para desfazer essa confusão é válido começar tratando do primeiro e mais óbvio aspecto da sustentabilidade, que é o da questão do meio ambiente.

Certamente, de nada adianta uma empresa lidar com peças como disjuntor para energia solar e, na prática, ela própria abusar do consumo de energias não renováveis, com isso impactando todo um sistema social que no longo prazo será prejudicado.

Nesse sentido uma marca precisa se conscientizar que o passo mais evidente de uma cultura de sustentabilidade é o da contribuição para a melhoria ou mesmo proteção ativa do meio ambiente.

Naturalmente, isso implica não poluir ou explorar de qualquer modo abusivo os recursos indispensáveis, como também significa uma postura de guardião desses valores.

Realmente, em alguns casos uma empresa pode ajudar os órgãos competentes a fazerem seu trabalho de preservação por meio de denúncias. Ou seja, a simples conivência para com um agente danoso já pode ser contrária à sustentabilidade de uma marca.

Além disso, também existe o bom exemplo: se você atua no segmento de gráficas e começa a trabalhar o uso do papel e da celulose com mais consciência, mostrando que é lucrativo, a concorrência fará igual.

Com o tempo uma empresa de médio porte tende a ver que o caminho da sustentabilidade compensa mais do que os demais caminhos, já que todo desperdício ou superexploração sempre trará escassez e uma extinção futura garantida.

É uma questão de racionalidade e visão: a cultura da sustentabilidade é a única que pode levar uma marca a se consagrar no mercado, ao passo que a falta dessa postura levará, mais hora menos hora, ao fracasso.

A influência da tecnologia e dos processos

Depois de espalhar por toda a hierarquia da empresa uma consciência sustentável, garantindo que cada funcionário pense junto com o todo, e não de modo isolado ou limitante, surgem as questões mais práticas e decisivas.

Um elemento fundamental nas tomadas de decisão é o dos processos rotineiros, pois não adianta ter grandes teorias se elas não se traduzirem em algo concreto no dia a dia.

Nos últimos anos surgiu o conceito de “tecnologias doces”, que englobam processos pensados minuciosamente para serem tecnicamente apropriados e sustentavelmente viáveis.

Se a empresa trabalha com recarga de extintor, mas não se mantém em dia com as determinações da manutenção preventiva da área, ou mesmo não tem bons fornecedores de insumos, ela não seguirá adiante por muito tempo.

Nesse caso, existem os famosos extintores de agente limpos, que não impactam negativamente em nenhum ambiente em que possam ser aplicados. Uma empresa da área não poderia ignorar essas novidades e suas vantagens.

Em outros setores industriais, o melhor planejamento pode estar em alterar um ou outro maquinário, trazendo um pátio ou unidade fabril mais adequado para minimizar os impactos ao meio ambiente, otimizando o processo e economizando recursos.

Se o foco for a relação mais transparente com os clientes e até com os colaboradores, a instalação de um conjunto de exaustor eólico industrial mais potente pode melhorar o ambiente de trabalho e o resultado final de um produto.

Seja como for, lançar mão da tecnologia e dos aparatos mais adequados é fundamental para qualquer planejamento de sustentabilidade.

Quando isso vai além da solução corporativa e toca o respeito para com o próximo, atingimos um ponto ainda mais delicado, que será aprofundado adiante.

Como contratar e ter planos de carreira reais

Outro sentido igualmente mais imediato do termo sustentabilidade remete à rotina de trabalho de cada um dos colaboradores empenhados na missão de determinada empresa.

Não é preciso ser empresário para perceber que um negócio que tem altas taxas de turnover (ou seja, altos índices de funcionários que entram, ficam pouco tempo e logo saem, sendo substituídos por outros), está fadado a não ir para frente.

Essa regra vale para uma empresa de pintura de estacionamento que conta com poucos funcionários, focando-se nesse serviço específico e nichado, tanto quanto para uma indústria com toda uma rede hierárquica complexa.

Além dos custos elevados que as empresas desajustadas costumam ter, quer com o trabalho de contratação que não termina nunca, quer com custas de processos e litígios que costumam sair dessas situações, o próprio nome da marca vai se desgastando.

Com o tempo ninguém vai querer trabalhar naquele local, e somente os funcionários menos qualificados e menores comprometidos vão acabar se apresentando para compor o time.

Sendo assim, uma cultura organizacional verdadeiramente sustentável precisa criar um ambiente e uma rotina de trabalho que sejam não apenas seguros e saudáveis para os seus funcionários, como também estimulante e com planos de carreira.

Aí é que está a grande dificuldade, e o diferencial que a sustentabilidade pode trazer para um empresário e seus sócios: como ter uma cultura estimulante, e como uma empresa de instalação de interfone SP, por exemplo, pode oferecer planos de carreira reais?

O que a cultura sustentável tem para ensinar é que independentemente do tamanho da empresa, é preciso que ela já nasça com o pensamento de expansão e de escala.

Afinal, se um serviço merece ser feito, e tem mercado, que seja bem feito. O tamanho que um negócio atingirá é determinado pelos seus fundadores, não pelas dificuldades ou desafios que surjam no meio do caminho.

Assim, qualquer empresa pode crescer muito, mas para isso vai precisar de mão de obra e gente comprometida. Aí é que entram as promessas de crescimento na carreira de cada um. E tudo isso pode ser muito real, desde que seja sustentável.

Neste sentido os benefícios e vantagens são um bem de mão dupla, que favorecem contratados e contratantes; e isso é sustentabilidade real.

A importância do trabalho em equipe

A lista de exigências para que uma empresa seja considerada verdadeiramente sustentável pode ser maior do que a maioria das pessoas imagina.

Como vimos, ela não se limitaria apenas a regulamentos e legislações vigentes. Até porque, no fim das contas, toda lei depende de uma fiscalização ou policiamento, o que nem sempre funciona.

Embora as leis sejam fundamentais, se está determinado que a segurança de um funcionário depende da instalação de um guarda corpo para laje, por exemplo, o principal fator que vai garantir isso é a ética e a consciência dos líderes.

Também assim, por mais que a corporação invista em conscientização da liderança, de nada adiantaria caso os funcionários mais operacionais não vestissem a camisa da empresa nem praticassem as boas práticas estabelecidas.

Se o ofício é perigoso, seja para a instalação de tela de proteção para sacada ou para a manipulação de produtos químicos e industriais, é preciso que toda a empresa esteja mobilizada em torno dos mesmos valores.

Quando se trata de evitar desperdício e poluição, vale a mesma regra. A cultura sustentável precisa vir de um trabalho em equipe, segundo modelos participativos de organização e gestão diária.

Com isso vemos claramente o que é uma empresa sustentável, e como ela pode atingir esse nível de estabilidade por meio não só de investimentos em recursos técnicos e materiais, mas também de algumas decisões éticas.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

5 sinais de que sua casa precisa de uma reforma

Não é segredo para ninguém que qualquer imóvel demanda uma reforma periódica, responsável por devolver a beleza das superfícies e renovar os ambientes.

Com o uso cotidiano da casa, vão surgindo elementos que merecem atenção, já que eles podem influenciar no funcionamento adequado da residência.

Mesmo que alguns deles não pareçam prejudicar de imediato a estrutura do imóvel, é essencial investir no reparo do espaço, de modo que o problema seja solucionado.

É muito comum que os proprietários de uma casa acabem postergando consertos aparentemente inofensivos, mas que se não são tratados a tempo, podem trazer prejuízos grandes para o local.

Nesse sentido, é sempre indicado que o dono da casa faça uma inspeção periódica nos cômodos, realizando a manutenção do aquecedor de piscina externo, assim como a revisão todas as lâmpadas do imóvel.

Com isso, é possível garantir o funcionamento integral da casa, e ao mesmo tempo evitar que situações perigosas passem despercebidas.

Esse pode ser o caso de falhas na instalação elétrica, que podem resultar na perda de equipamentos e eletrodomésticos do local.

Sendo assim, é preciso ficar atentos aos sinais de que a sua casa precisa de uma reforma. 

Para saber quais são eles, siga na leitura deste artigo.

A importância da manutenção doméstica

A construção de uma boa casa exige que cada etapa seja bem executada, garantindo que a estrutura do imóvel possua a qualidade necessária para durar por longos anos.

Assim, é possível dividir o período de obras em fases como:

  • A preparação do terreno;
  • A aquisição dos materiais;
  • A instalação elétrica e a hidráulica;
  • O acabamento e a finalização.

Desde a demolição e terraplanagem, até a limpeza da área, o terreno deve receber todo o investimento preciso para que a edificação possa ser levantada.

Depois, é preciso buscar materiais de qualidade comprovada, que vão ser essenciais para a segurança do imóvel. Selecionar o tipo dos tijolos e do concreto, além das esquadrias da casa, é essencial nessa etapa.

As instalações elétricas e hidráulicas são de grande importância, e devem ser feitas cuidadosamente para garantir a durabilidade desses sistemas, levando em consideração a vedação dos canos, assim como a qualidade do disjuntor para tomadas.

Na sequência, é preciso finalizar a construção com acabamentos bem-feitos, que vão proporcionar maior beleza para os cômodos.

A manutenção periódica do imóvel vai depender diretamente da atenção que o proprietário dá ao local, de modo que os ajustes necessários podem demorar para aparecer.

Nesse sentido, é importante ficar atento e verificar os sinais de que é preciso reformar a casa, que serão mencionados a seguir.

5 sinais de que sua casa está precisando de uma reforma

O uso constante do espaço faz com que surjam manutenções necessárias e emergenciais. Isso quer dizer que você deve estar sempre atento aos sinais visíveis no imóvel.

Além disso, pode ser importante contratar um profissional qualificado para analisar os diferentes sistemas de uma casa, sejam eles o de automação de iluminação residencial ou o encanamento de gás da residência.

Desse modo, você evita que situações perigosas possam trazer transtornos para a sua família, e garante mais tranquilidade no dia a dia.

01- Quedas constantes de energia

Nos imóveis onde há quedas constantes de energia, é necessário revisar o quadro elétrico da casa e trocar os componentes que estejam apresentando defeitos visíveis.

Caso você não possua conhecimento para realizar a inspeção visual, é altamente indicado que você contrate um eletricista para verificar toda a sua rede elétrica, como um modo eficiente de identificar possíveis problemas.

Em casos mais graves, será necessário recorrer a uma pequena reforma, atualizando e trocando os diferentes elementos do sistema de energia da casa.

02- Tinta descascando e mancha nas paredes

As superfícies do imóvel sofrem a ação natural do tempo, de modo que precisam ser constantemente reformadas.

Se você estiver visualizando regiões onde a tinta descascou ou algumas manchas na parede, é indispensável verificar a área de modo mais minucioso.

Isso porque pode ocorrer infiltrações nas superfícies que podem resultar em rachaduras, assim como no surgimento de mofo e até mesmo na queda de azulejos em cômodos como a cozinha ou o banheiro.

Após a resolução do problema, que pode demandar a reforma de uma determinada parede, você deve devolver as características normais da residência com a contração do serviço de pintura interna de casas.

Desse modo, você evita problemas estruturais de grandes proporções, assim como o surgimento de quadros respiratórios nos moradores do imóvel, que são prejudicados com o surgimento de bolor decorrente das infiltrações.

Esse também pode ser um estímulo interessante para realizar a aplicação de uma nova camada de tinta na parte externa da casa, valorizando a sua residência.

03- Descolamento de pisos e acabamentos

É muito comum que, com o passar do tempo, algumas lajotas e tacos se descolem do pavimento, deixando o chão da sua casa em más condições.

Se você mora com idosos e crianças, esse deve ser um motivo para recorrer a uma reforma urgente, já que um piso solto na sala da casa pode facilmente ocasionar quedas.

Com a troca do material, você devolve a beleza dos cômodos, e desfruta de uma superfície lisa e renovada.

Se você também possui pisos de pedra na sua residência, uma maneira prática de reformá-lo é recorrer ao polimento de mármore, que devolve as características iniciais do material e deixa a casa mais reluzente.

04- Esquadrias rangendo ou emperrando

As portas e janelas da sua casa também devem receber uma atenção especial, principalmente quando elas começam a ranger e a emperrar.

Apesar de muitas pessoas forçarem o fechamento da porta ou ignorarem o barulho emitido ao abrir ou fechar a janela, esses são alguns dos sinais indicativos de que há problemas com esses itens.

Você pode recorrer a uma manutenção simples, mas caso a estrutura da esquadria esteja comprometida, pode ser o momento ideal para substituí-la por um modelo novo.

Isso porque esses elementos são indispensáveis para proteger a sua casa e, se não estão desempenhando o seu papel de modo satisfatório, eles podem comprometer a segurança do imóvel.

Você pode aproveitar a oportunidade para adquirir as opções com isolamento térmico e acústico, que podem trazer benefícios na contenção do calor ou frio, de acordo com a época do ano, assim como garantir o silêncio dentro da casa.

05- Infestação de insetos

Se a sua casa possui um grande número de elementos em madeira, você deve garantir que eles estarão devidamente protegidos contra a invasão de insetos, que podem destruir a estrutura interna de vários itens.

Apesar dos cupins serem uma espécie de praga silenciosa, é possível perceber a sua presença onde ocorre o acúmulo de poeira perto das estruturas de madeira da sua casa, indicando a presença desses insetos.

Em alguns casos, principalmente se a infestação está no início, é possível recorrer a uma dedetização, que após a aplicação de substâncias próprias impede a proliferação e mata todos os cupins presentes na madeira.

Porém, se o material já teve a sua estrutura interna comprometida, pode ser necessário recorrer a uma reforma, para a substituição da madeira presente no seu imóvel.

Depois, você deve se preocupar em aplicar vernizes e outros produtos próprios para evitar esse problema, garantindo uma vida útil maior aos seus pisos, esquadrias e móveis.

Se você teve que reformar mesas e sofás que foram infectados pela presença de cupins, pode ser interessante aproveitar a situação para aplicar uma limpeza de cadeiras estofadas, deixando a sua sala mais bonita e renovada.

Cuidados estruturais e pós-reforma

Se você precisou reformar diferentes áreas da sua casa para garantir a segurança e a repaginada do imóvel, é importante tomar alguns cuidados estruturais e de pós-obra.

Você deve garantir a manutenção periódica das superfícies da sua casa, aplicando produtos que possam revitalizar os pisos e devolver a beleza dos cômodos.

Além disso, é importante realizar a limpeza dos ralos, removendo o excesso de sujeira que pode entupir os canos.

Você deve verificar se não há vazamentos nas torneiras da casa, substituindo-as sempre que for necessário e verificar se os fusíveis da sua caixa de energia estão funcionando adequadamente.

Também é necessário descartar todo o material da reforma de modo apropriado. Para isso, é preciso realizar o aluguel de caçamba de entulho, eliminando todo os restos de concreto e madeira retirados da casa.

É preciso lembrar que os materiais provenientes de reformas não devem ser descartados como lixo comum e, por isso, você deve eliminá-los de forma correta contratando as empresas do segmento de remoção de detritos.

Desse modo, você conclui a reforma necessária para a sua casa e pode desfrutar de um imóvel renovado, que vai garantir a segurança dos moradores e valorizar toda a sua residência.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

Qual estratégia de marketing aplicar no seu e-commerce

Os negócios e-commerce têm atraído cada vez mais os olhares de empreendedores e de consumidores, por conta das facilidades que oferece.

A internet está se transformando no principal meio de compra, afinal, ela é um meio ágil e que traz uma diversidade de opções muito maior do que nas lojas físicas.

As lojas virtuais funcionam da mesma maneira que os negócios físicos, necessitando de ações como separação de estoque, bom atendimento, relacionamento com o público e estratégias de venda e divulgação.

Só que, por conta de suas facilidades, esse tipo de negócio tem crescido muito, e a concorrência também. Daí a importância de saber trabalhar as estratégias de Marketing Digital para alcançar o sucesso.

Essa estratégias traz muitas soluções por meio de práticas adequadas aos mais diferentes tipos de negócio, permitindo que alcancem resultados efetivos.

No entanto, é importante conhecer quais são as principais estratégias e saber aplicá-las do jeito certo. Também é necessário estar por dentro das ferramentas e saber por que elas são necessárias nessas ações.

Pensando nisso, neste artigo, trazemos o conceito de Marketing Digital, sua importância e quais são suas melhores ações para os negócios e-commerce.

O que é Marketing Digital?

Marketing Digital é um conjunto de atividades que uma empresa realiza na internet, visando atrair novas possibilidades de negócio, criar relacionamentos e desenvolver melhor a identidade da marca.

Para isso, um berçario freguesia do ó usa canais de mídias digitais, para se comunicar com seu público de maneira direta, personalizada e no melhor momento.

Com o crescimento do uso contínuo da internet, o Marketing Digital se tornou a principal maneira de promover produtos, serviços e marcas hoje em dia. Para veicular suas campanhas, a internet usa canais como:

  • Sites;
  • Blogs;
  • Redes sociais;
  • E-mail.

Tudo focado nas dores e desejos dos consumidores, ou seja, é um marketing muito mais direcionado do que se costumava ver antigamente.

Também é uma estratégia bem democrática, uma vez que oferece as mesmas possibilidades para empresas de diferentes tamanhos, usando os recursos que têm.

Também é mais acessível financeiramente, o que acaba por oferecer um excelente retorno sobre os investimentos.

Importância do Marketing Digital para o e-commerce

As lojas virtuais sobrevivem 100% do meio on-line, por isso, precisam divulgar sua marca e os produtos que vende por meio da internet. E elas podem usar estratégia que uma escola de ensino fundamental particular, tendo acesso a vantagens como:

1 – Maior interatividade

A interatividade com o público é muito maior pelos canais usados no Marketing Digital do que nas mídias offline. 

Além disso, o foco não está mais no produto, mas, sim, na experiência do usuário e em sua jornada de compra.

Assim que uma empresa lança sua campanha, o público pode interagir, opinar e compartilhar com outras pessoas. E ao mesmo tempo em que isso aumenta o engajamento do público, também o torna mais exigente.

Dessa forma, é importante que as marcas estejam atentas à maneira de melhorar e falar com a audiência.

2 – Fácil análise e mensuração

Quando as empresas só tinham a TV, o rádio e outras opções de mídia offline para veicularem suas campanhas, era difícil mensurar a efetividade delas.

Até a chegada da internet e as facilidades trazidas por ela, muito dinheiro foi gasto com campanhas ineficientes. 

Mas, nas campanhas online, a análise de dados é parte fundamental de todo o processo.

3 – Mais oportunidades para as empresas

O Marketing Digital também diminuiu a distância entre empresa e consumidor. 

Isso porque, mesmo uma pequena empresa de instalação elétrica estilo industrial pode fazer boas campanhas e atrair pessoas de diversos lugares.

Isso não só aumenta os lucros da organização, como também beneficia os consumidores, pois eles têm acesso a diferentes oportunidades para adquirir um produto ou serviço.

4 – Melhor direcionamento

Mais do que impactar um número maior de pessoas, com as estratégias de marketing online, as empresas atingem o público certo. 

A campanha chega até as pessoas que realmente têm interesse naquilo que é vendido.

Isso é benéfico também porque a marca já não gasta mais dinheiro com consumidores que não têm potencial para se tornarem clientes, o que se mostra uma excelente economia de recursos que podem ser investidos e ações mais promissoras.

Melhores ações de Marketing Digital para e-commerce

Pensando nas melhores práticas de Marketing Digital para as plataformas e-commerce, as principais dicas são:

1 – Google Ads

Por meio do Google Ads, uma empresa de moto disk entrega consegue aumentar sua exposição no Google. A maioria das empresas utiliza essa prática, pois garante um alcance grande e imediato.

Isso aumenta o tráfego no site e pode ser feito em diferentes tipos de campanha, sendo:

Rede de pesquisa

Exibe anúncios na página de resultados do Google e redes de pesquisa parceiras. Funciona como um leilão, onde a empresa diz para o Google qual palavra-chave precisa e quanto vai pagar por ela.

Por exemplo, um e-commerce de moda íntima sabe que as pessoas pesquisam por “comprar pijama infantil”. 

Sabendo disso, essa loja diz ao Google Ads que cada vez que uma pesquisa com essas palavras for feita, o anúncio deve aparecer.

Dessa forma, essa plataforma quer pagar 50 centavos a cada clique que seu anúncio receber. Dependendo do lance, o anúncio é exibido em cima ou embaixo da página.

Rede de display

Exibe os anúncios em milhares de sites e parceiros do Google. Com isso, consegue entender onde o público navega para publicar os anúncios em locais estratégicos.

Por exemplo, uma empresa de projeto de heliponto sabe que seu público frequenta sites de arquitetura, por exemplo, ou até sites dedicados a gestores e proprietários de empresas. Então, os anúncios serão veiculados nesses canais.

2 – Remarketing

O Remarketing é uma ação também conhecida como retarget e tem como objetivo conquistar o consumidor que acessou o site da loja, mas não comprou nada.

Um exemplo disso é quando acessamos um site, olhamos um produto e depois ele aparece para nós em diversos lugares em forma de anúncios, como nas redes sociais.

O objetivo disso é fazer com que a pessoa se lembre do que visualizou, aumentando as chances de compra, e essa ação por ser feita com o próprio Google Ads.

3 – SEO

O SEO (Search Engine Optimization) melhora o posicionamento orgânico de uma empresa de licença ambiental inema no Google. 

Trata-se de uma estratégia de longo prazo, mas que traz excelentes resultados, como zero custo e visitantes mais propensos a comprar.

Só que para que essa estratégia funcione, é necessário pensar em pontos como:

Ter um blog para a loja

É por meio do blog que um negócio consegue impactar a persona em muitos momentos. Isso porque os conteúdos publicados neste perfil agregam valor à marca e aumentam as vendas.

Dessa forma, quanto mais se investe em conteúdo de qualidade, mais autoridade a empresa terá perante os consumidores e a concorrência.

Uma boa dica seria uma loja de materiais de construção possuir um blog que fale sobre a construção civil e seus processos. 

Também dar dicas de cuidados como calafetar piso de madeira, manutenção residencial dentre outras informações, são outras opções.

Ao publicar os conteúdos, links que direcionem o visitante ao site de compras podem ser inseridos. Mas os materiais devem ter qualidade para que o Google possa classificá-lo como relevante.

Otimizar a loja virtual

A estrutura do site também é considerada para avaliar a relevância dela para o público-alvo. Para isso, alguns princípios devem ser seguidos, tais como:

  • URL amigável;
  • Título atraente;
  • Responsividade;
  • Velocidade.

A URL precisa ser fácil de ser memorizada, evitando o uso de números e símbolos. O título precisa chamar a atenção do usuário, para que ele se interesse pelo conteúdo.

Além disso, o site deve ser responsivo, para que possa ser acessado pelos dispositivos móveis, sem perda de qualidade. Isso também garante mais rapidez para acessar todo o conteúdo da página.

Redes sociais

Estar nas redes sociais já se tornou uma necessidade para qualquer empresa, assim como ter uma conta de e-mail. Elas reúnem diferentes perfis de consumidores, desde pessoas interessadas em anel solitario prata com diamante até EPI.

Por meio delas, as marcas também conseguem entender melhor a sua persona, além de facilitar a comunicação com clientes e potenciais clientes. Sendo assim, é fundamental estar presente nelas.

Conclusão

É claro que existem outras estratégias que podem ser colocadas em prática e, para cada uma delas, existe o melhor momento.

Seja qual forem as ações que você escolher, o objetivo principal deve ser criar uma loja virtual que ofereça suporte a todas essas estratégias. Também é importante priorizá-las e monitorá-las constantemente, para colher bons frutos do investimento.

Dessa forma, a sua plataforma e-commerce chegará ao conhecimento do público, aumentando as vendas e, consequentemente, os lucros do negócio.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que é Call To Action e como pode te ajudar a alcançar mais clientes?

Quem está em busca de ferramentas que possam potencializar o alcance de clientes não deve deixar de conferir o que é o Call To Action, e como ele pode ser utilizado para melhorar a captação de leads.

A internet é hoje um meio de se adquirir conhecimento rapidamente. É cada vez mais comum que as pessoas façam buscas para que possam entender uma diversidade de assuntos, assim como para encontrar produtos que elas precisam comprar. 

Nesse cenário, uma empresa que esteja atuando no mundo virtual, e que deseja atingir mais clientes com os seus conteúdos, precisará de estratégias para isso. 

Uma delas é o call to action, uma “chamada para a ação”, que pode render benefícios para o negócio. 

Se um visitante entra no seu site para saber como tirar carta de motorista, por exemplo, o uso de uma expressão como “se increva agora” pode ser um incentivo eficaz.

Ou seja, se ele estava na dúvida sobre se matricular no curso de formação de condutores, é possível que a utilização de um termo estratégico tenha um efeito direto sobre a decisão dele, sendo capaz de trazer benefícios para a sua empresa. 

Assim como diversos elementos do marketing digital são grandes responsáveis por auxiliar um potencial cliente no momento de compra dele, o call to action pode contribuir para várias ações que você julgue importantes, e deve ser utilizado estrategicamente no seu site. 

Por isso, se você quer saber o que é o call to action e como ele pode ser indispensável para alcançar clientes para o seu negócio, siga na leitura deste artigo para entender mais sobre o assunto e utilizá-lo nas suas ações de marketing ou vendas.

O que é o call to action?

O termo call to action (CTA), traduzido, quer dizer “chamada para ação”. Em resumo, ele se trata de um incentivo, que pode ser utilizado para fazer com que um visitante do seu site compre um porta banner, ou para que ele se inscreva em uma newsletter, por exemplo.

Quando um usuário que está navegando pela internet encontra o seu site, é possível que ele seja encantado pelo que você oferece e queira estar mais próximo da sua marca. 

Muitas vezes, isso pode passar em branco, principalmente quando não há uma boa abordagem dentro da sua página. 

Vale dizer que o call to action pode ser utilizado para diversas finalidades, tais como as de chamar o cliente para:

  • Finalizar um pedido;
  • Se inscrever no seu site;
  • Conferir um novo conteúdo;
  • Conhecer o seu blog;
  • Conseguir um desconto;
  • Entre outros.

De fato, as possibilidades do uso do call to action são bastante variadas, e podem contribuir de modo positivo para qualquer ação que uma empresa de produção de eventos, ou de qualquer outro segmento, deseja fazer. 

Assim, é indispensável que o negócio tenha bem delineado cada uma das características que vão influenciar no uso do melhor CTA, de acordo com a persona da marca, da campanha que se esteja fazendo e do resultado que se quer obter. 

Por isso, é possível dizer que o call to action é uma forma eficiente de conduzir os visitantes da sua página até conversão que você deseja, seja de captação de leads ou de fechamento de uma compra. 

Call to action para alcançar clientes

Alcançar mais clientes é o que a maioria dos estabelecimentos pretende, não é mesmo? Várias ações podem ser tomadas nesse sentido, e o call to action é um recurso que pode contribuir bastante com essa necessidade. 

Certamente, ao buscar opções de penteados para casamento, uma noiva pode ter se deparado com o site de um salão de beleza, ou mesmo com um blog especializado no assunto, que pudesse ajudá-la a encontrar um modelo que mais a agrade. 

Essa pessoa pode ser uma potencial cliente do estabelecimento, de modo que alcançar o contato dela é essencial para torná-la um lead do negócio, que possa ser trabalhado para chegar no momento de compra. 

Sendo assim, é essencial que esses sites utilizem o CTA como um modo de fazer com que a noiva conheça mais sobre os seus serviços, assim como se inscreva para receber atualizações.

Para isso, boas alternativas do uso do call to action incluem ações diferenciadas, conforme veremos a seguir. 

1. CTA e campo de inscrição para newsletter

Uma ferramenta essencial para captar leads é oferecer um campo de inscrição para newsletter, por exemplo, onde o usuário poderá deixar o endereço de e-mail dele e receber contatos posteriores da empresa. 

O visitante de um site que esteja lendo sobre os benefícios do uso de um compressor de ar pode ser impactado pelo call to action no texto ou mesmo em um espaço próprio para que ele se cadastre no site. 

Essa ação permite a coleta de novos leads, ajudando o estabelecimento a alcançar novos clientes. 

Mas para que isso seja possível e frutífero, é indispensável inserir um CTA como “Deixe seu e-mail aqui e receba as últimas novidades sobre o segmento”.

Esse tipo de call to action pode ser bastante produtivo para que as pessoas se sintam chamadas a se inscrever e, assim, receber conteúdos diretamente no e-mail delas.  

2. CTA e o oferecimento de ebooks

A internet possibilita um rápido acesso a conteúdos de qualidade, que podem agregar maior valor para o conhecimento das pessoas. 

Por isso, elas buscam cada vez mais por páginas que tenham autoridade e que ofereçam informações relevantes. 

Nesse sentido, se um site oferece um ebook sobre como deve ser feita a instalação de um chuveiro elétrico, por exemplo, ele pode utilizar essa estratégia para conquistar a atenção do público ao mesmo tempo que aproveita a oportunidade para captar leads. 

Para isso, é importante que um pequeno formulário seja inserido na sua página, onde um call to action é aplicado para que o visitante se inscreva para receber o material diretamente no seu e-mail.

Assim, a sua lista de leads poderá receber um grande número de novos contatos. 

3. CTA e uso de webinars

Os webinars são ferramentas de conteúdo de grande relevância, já que eles funcionam de modo bastante semelhante ao de uma palestra, porém na versão online. 

Para que as pessoas possam acompanhar o assunto que será tratado, que pode ser desde os métodos de fabricação de um forro de pvc até dicas para fazer uma declaração de imposto de renda, elas precisarão se inscrever para receber o link e o aviso do evento. 

O call to action pode ser utilizado de diversas maneiras, tanto com expressões como “Se inscreva agora para garantir sua vaga” ou “Compartilhe com seus amigos”, para atrair um maior número de participantes e, consequentemente, de leads.

4. CTA e divulgação de cursos

Os cursos online são cada vez mais comuns no mundo virtual e ganham um grande número de interessados e de adeptos facilmente. 

No momento do fechamento de um curso, seja ele pago ou não, é possível que os usuários fiquem na dúvida sobre participar, já que esse tipo de material exige tempo e dedicação para ser bem compreendido. 

O uso do CTA é a maneira mais simples e direta de chamar os visitantes para se tornarem leads, ao estimularem a inscrição dessas pessoas indicando os benefícios da plataforma. 

Isso quer dizer que talvez seja necessário utilizar estratégias como “Se inscreva agora e assista depois” ou “Saiba mais sobre métodos de confecção de piscina de fibra neste curso completo”, que vão estimular os participantes a realizar o cadastro.

Dessa forma, você conquista novos leads e pode trabalhá-los com maior assertividade, entendendo suas necessidades e oferecendo o que eles buscam na sua empresa.

Considerações finais

O call to action é uma ferramenta bastante produtiva de marketing, pois é responsável por gerar uma série de efeitos nos visitantes do seu site e conduzi-los por uma ação que trará benefícios para eles e para o seu negócio, ao mesmo tempo.

Conquistar novos leads é uma etapa essencial para que a empresa alcance mais clientes, devendo investir em estratégias que permitam uma melhor atuação na internet, enquanto elabora uma maneira de chamar a atenção do seu público de modo eficaz. 

Nesse sentido, o call to action surge como uma solução ideal, já que ele é capaz de atrair um potencial cliente e ajudá-lo a tomar decisões interessantes, como o cadastro para receber novidades ou mesmo uma inscrição para assistir a um webinar. 

Dessa forma, é possível dizer que o CTA é um método eficaz que pode ajudar tanto na captação de leads quanto no alcance de clientes, sendo ele indispensável em qualquer boa estratégia de marketing para empresas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

O que não pode faltar em um casamento de luxo?

O casamento é uma das ocasiões mais esperadas, ainda mais para os casais apaixonados, que estão há algum tempo preparando todos os detalhes da festa. 

Por isso, todo o cuidado é pouco: desde as lembrancinhas, até a escolha do cerimonialista, tudo precisa estar perfeito para o grande dia.

Para quem deseja investir em uma celebração sofisticada, mas na medida certa, sem grandes exageros (que podem comprometer a festa), a organização é ainda mais desafiadora. 

Afinal de contas, até a escolha da aliança personalizada prata ou ouro irá afetar a percepção dos convidados.

No artigo de hoje, acompanhe o que não pode faltar em um casamento de luxo e conheça as dicas para realizar uma festa de alto padrão.

Mas, afinal de contas, o que é luxo?

De forma simples, consiste em uma decoração de bom gosto, com capacidade de criar composições harmônicas entre os detalhes, objetos e ambientes. 

No caso de um casamento, a festa pode ter cenários que conversam entre si, com ornamentos extremamente requintados.

Inclusive, nem sempre ter condições financeiras para arcar com uma festa grandiosa é sinônimo de luxo. Muitos cerimonialistas concordam que, às vezes, “menos é mais”, especialmente quando lidamos com sofisticação.

Afinal de contas, é o mesmo que pensar em uma decoração para casa. Se exagerar muito nos enfeites de uma janela de vidro apartamento, ao invés de luxo, teremos o brega!

Por esse motivo, quando falamos de luxo, estamos nos referindo a um espaço aconchegante aos convidados, onde todo mundo se sinta bem acolhido e atendido. 

Ao mesmo tempo em que o casamento deve atender aos desejos dos noivos, pois é o grande dia do casal.

Além disso, o casamento de luxo deve possibilitar momentos especiais ao lado de pessoas queridas. Ou seja, a festa não pode ser uma “dor de cabeça” ao noivos, mas sim, fazer com que eles desfrutem de um dia extremamente feliz.

Por isso, caiu de moda falar somente de preço. Uma festa de casamento luxuosa pode não ultrapassar o investimento de R$ 100 mil, ou chegar até R$ 1 milhão, já que opções para incrementar o evento não faltam.

Mas o ideal é priorizar e selecionar as alternativas que mais agradam os noivos e que são possíveis de serem implantadas.

É aquele tal negócio: nem sempre uma aula ballet infantil de luxo tem a mensalidade mais cara, mas ela sempre proporciona o bem-estar de ambos os lados, com muita sofisticação e conforto. O mesmo vale para casamentos.

7 itens que não podem faltar em um casamento de luxo

Saber o que não pode faltar em um casamento de luxo não é uma tarefa simples. 

Diante disso, é importante contar com a ajuda de uma consultoria especializada ou um cerimonialista, que vão organizar toda a festa conforme os desejos dos noivos.

No entanto, existem algumas peças e objetos de decoração eternos e atemporais, que são capazes de transformar qualquer ambiente em um espaço luxuoso, do mais puro requinte. Por isso, separamos algumas dicas de como ter um casamento de luxo. Acompanhe!

1 – Itens de decoração

Os artigos de decoração são os principais responsáveis por dar a sensação de luxuosidade aos espaços. Sendo assim, é importante escolher um salão que contenha esses artigos ou conte com local disponível para a instalação.

Se o casamento for à noite, alguns objetos são indispensáveis, tais como:

  • Lustres para iluminação;
  • Arranjos aéreos;
  • Mesa de doces espelhada;
  • Peças em cristais e prataria;
  • Flores brancas;
  • Toalha para mesa branca;
  • Flores brancas ou de tonalidades neutras.

Também recomenda-se uma decoração com castiçais de alto padrão no centro de mesa, taças de cristal com trabalhos em prata e ouro, bem como talheres bem selecionados.

O uso do linho em guardanapos e toalhas de mesa também é altamente recomendado, visto que é um tecido sofisticado e delicado. 

É possível combinar tonalidades mais sóbrias, como o branco e o dourado, sem exageros.

No caso das flores, também recomenda-se cores mais neutras, já que vasos muito coloridos podem prejudicar a sofisticação decorativa.

Em um casamento de luxo, até a bandeja dos garçons precisa ser devidamente pensada. Dê preferência para os acessórios em prata ou feitos com chapa aço carbono espelhada.

2 – Música

A música é indispensável para qualquer festa, pois ela é a grande responsável pela animação dos convidados e por proporcionar momentos inesquecíveis. Portanto, escolha um repertório adequado para cada momento da celebração.

Independentemente de banda ou DJ, é importante que os músicos saibam interagir com os noivos e convidados. 

Não adianta nada colocar uma música muito animada, própria para dançar, no momento em que o jantar está sendo servido. Ou uma música tranquila na pista de dança.

Converse com a banda ou DJ para montar um cronograma do casamento. Desse modo, os profissionais saberão o momento certo de cada trilha sonora.

3 – Mesa de doces

A mesa de doces é um dos itens mais chamativos em todo casamento. Para uma decoração de luxo, é importante que ela tenha uma aparência elegante e sofisticada, para compor a recepção de alto padrão.

Por isso, recomenda-se investir em doces clássicos, como o popular camafeu de nozes e trufas de chocolate, além da composição com forminhas diferenciadas, cristais, pratarias e bolos de vários andares.

Os bem-casados também são imprescindíveis nas festas de casamento. O ideal é considerar uma quantidade de três a quatro guloseimas por pessoa e, se possível oferecer uma caixinha de doces para os convidados levarem após a festa.

Quanto ao bolo, ele deve ser o centro da mesa de doces e uma das atrações principais da festa. Um dos sabores mais pedidos é o red velvet com ganache de framboesas e amêndoas ao mel. Mas, o mais interessante é a decoração do bolo, com uso de flores e confeitos.

4 – Drinks

Os drinks são a sensação de todo casamento. Para as festas de luxo, recomenda-se ter um bar somente voltado à preparação de bebidas diferenciadas, com muitas opções para os convidados.

Não se esqueça de recomendar para que todas as pessoas que estão bebendo, mesmo as que tiverem feito mudança categoria cnh, não dirijam após o consumo de álcool. Por isso, oriente os seguranças da festa a não deixarem seus convidados irem para casa dirigindo.

Também é importante servir bebidas clássicas, como whisky, vinho e champagne, em taças de cristal, personalizadas para cada tipo de coquetel.

Além disso, é indicado escolher bebidas que harmonizam com o menu selecionado, levando em conta não só o paladar dos noivos, mas também dos convidados, bem como a faixa etária. 

Por isso, além dos drinks e bebidas alcoólicas, tenha à disposição refrigerantes, sucos e água.

5 – Iluminação

A iluminação de um casamento de luxo deve ser mais intimista, mas sem deixar os convidados no escuro e com dificuldades para enxergar os detalhes da festa.

Ou seja, é como regular uma persiana de rolô para sacada, promovendo a entrada de luminosidade adequada para o salão.

Nos casamentos noturnos, além das luzes artificiais, recomenda-se o uso de velas, que dão um toque especial à decoração.

6 – Lembrancinhas

As lembrancinhas ecológicas tornaram-se uma das tendências dos casamentos de luxo atuais. 

Além de ser uma opção diferenciada, os convidados podem guardá-las por mais tempo e enfeitar a casa, como um vasinho de planta suculenta, ou um tempero como alecrim, manjericão e pimenta.

As loções hidratantes e mini espumantes também estão em alta. Elas podem ser oferecidas em conjunto com água personalizada, home spray e desodorizadores de ambiente, com rótulos personalizados de acordo com as preferências dos noivos.

Fora as lembrancinhas, você também pode investir em uma mesa de saída para os convidados, com alguns doces e café, para que eles tenham uma última impressão ainda mais agradável da sua festa.

7 – Segurança e limpeza

A segurança e a limpeza são fundamentais para toda festa, em especial nos casamentos de luxo. 

A dica é ter um espaço destinado para a coleta resíduos recicláveis, para que ao fim da comemoração, o lixo possa ser devidamente descartado.

Além disso, vale a pena investir em uma equipe de segurança, evitando a entrada de pessoas desconhecidas na festa, bem como para proteger os convidados durante a saída do evento.

Conclusão

Há muitos outros detalhes que não podem faltar em um casamento de luxo: é preciso ter atenção às roupas dos convidados, dos noivos, buquê, fotografia, entre vários outros elementos indispensáveis para uma festa elegante.

Por isso, vale a pena ter um planejamento completo de toda a celebração, para não ser surpreendido negativamente, justamente no dia da festa.

Prepare tudo com antecedência e curta ao máximo desta data tão especial!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Como usar e-mail marketing na comunicação de uma igreja

O e-mail marketing é considerado hoje como um dos principais e mais importantes meios de comunicação entre as pessoas, empresas e até igrejas.

Já chegou a ser visto como uma estratégia intrusiva e nada bem-vinda, mas graças aos avanços do Marketing Digital, tornou-se um excelente canal para entregar a mensagem para as pessoas certas.

Além disso, é um canal seguro e eficiente, uma vez que quase mais de 90% dos usuários da internet têm pelo menos uma conta de e-mail. 

Mas todo esse processo de envio de e-mail marketing é feito de maneira direcionada e com pessoas que realmente estejam interessadas.

Todas as organizações têm o seu público-alvo específico, e com as igrejas não é diferente. Uma paróquia tem assuntos que são do interesse de pessoas que frequentam o local, e ela precisa se comunicar com os paroquianos de alguma maneira.

Por que não o e-mail? Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre o que é e-mail marketing, como ele pode ser vantajoso para uma igreja, além de dar dicas de conteúdos que podem ser veiculados por ele. Acompanhe a leitura!

O que é e-mail marketing?

O e-mail marketing é uma das mais importantes estratégias de Marketing Digital, que estabelece a comunicação entre instituições e seu público-alvo via e-mail.

O disparo de e-mails é feito após uma segmentação dos contatos, juntamente com ferramentas de automação, que escalam o processo e personalizam as mensagens.

Uma empresa de instalação de elevador automotivo hidráulico pode usar essa estratégia para veicular diversas mensagens, tais como:

  • Ofertas;
  • Promoções;
  • Confirmação de compra;
  • Newsletter.

Só que não apenas as empresas podem usar esse recurso, como também as igrejas, para veicular informações como calendário de eventos, missas, divulgação de serviços à comunidade, dentre outras possibilidades.

Antigamente, tanto as pessoas quanto as instituições viam o e-mail marketing como uma comunicação intrusiva, e rapidamente descartavam a mensagem. Mas essa estratégia evoluiu, juntamente com o Marketing Digital.

Isso acabou transformando o e-mail marketing em uma das maneiras mais pessoais de se comunicar, por meio de uma troca direta de mensagens.

Vantagens do e-mail marketing para as igrejas

Nos últimos anos, as redes sociais foram os canais de mídia que mais atraíram a atenção das instituições, incluindo as paróquias. 

É compreensivo, pois se uma empresa faz uma publicação sobre afiadora de faca, rapidamente esse conteúdo é visto e compartilhado.  

No entanto, o e-mail marketing não perdeu sua relevância, pelo contrário, ganhou mais notoriedade, por conta dos benefícios que ele traz para igrejas e para qualquer instituição que o utilize, tais como:

1 – Grande alcance

Como mais de 90% das pessoas que usam a internet possuem um endereço de e-mail, a tendência é que esse número cresça ainda mais, afinal, mesmo para criar um perfil em uma rede social, baixar um conteúdo ou logar em um site, é necessário ter uma conta de e-mail.

Por isso, é garantido que todos os frequentadores de uma igreja tenham pelo menos um endereço de e-mail que possam usar. 

Raras exceções não terão, o que significa que o estabelecimento terá em mãos um contato importante de seus fiéis.

2 – Alcance previsível

Outra vantagem do e-mail marketing é a possibilidade de prever quantas pessoas receberão uma mensagem, ao contrário do que acontece nas redes sociais.

Por exemplo, se uma escola de dança enviou e-mail para 100 pessoas, ela tem certeza que todas as cem irão receber. O contrário só aconteceria de dentre esses destinatários algum estiver incorreto ou com problemas no e-mail.

Por outro lado, se esta mesma escola possui 100 seguidores de seu perfil nas redes sociais e publicar um conteúdo, apenas uma parte deles vai ver o que ela publicou.

Isso acontece por conta dos algoritmos dessas plataformas que definem qual conteúdo é mais relevante para uma pessoa.

3 – Formato flexível

O e-mail tem muitas possibilidades de formato de conteúdos, perfeitos para igrejas, empresas, profissionais e pessoas. Neles, é possível incluir textos, imagens, gifs e muitos outros itens.

Templates e elementos gráficos também são possíveis, dessa forma, a igreja consegue personalizar a mensagem de acordo com seu objetivo e até mesmo torná-la mais pessoal.

Também é possível incluir links, então, supondo que uma agência de turismo tenha criado uma publicação sobre a qualidade do lençol de hotel ideal e queira divulgá-lo, ela pode incluir o link da publicação no corpo do e-mail.

4 – Baixo investimento

Sabemos que o orçamento de muitas igrejas é curto, o que faz com que elas tenham que encontrar opções boas e baratas para se comunicar com seus paroquianos.

O e-mail marketing é uma dessas opções, que exigem apenas três itens para funcionar bem, sendo: um endereço de e-mail, uma ferramenta de automação e alguém que se dedique à tarefa.

É importante escolher uma boa ferramenta de e-mail marketing, e existem muitas gratuitas. Mas, se a igreja optar por uma paga, o valor investido ainda não é alto.

Melhores estratégias de e-mail marketing para igrejas

É difícil pensar que algo que seja bom para uma empresa de coleta de resíduos industriais também tenha benefícios para as paróquias. 

Mas como visto no tópico anterior, o e-mail marketing é muito vantajoso para quem o utiliza.

Só que para ter acesso a todos os benefícios, é importante que a igreja saiba trabalhar adequadamente com ele. E dentre as principais estratégias que podem ser usadas estão:

1 – Produção de conteúdo relevante

A igreja não precisa mandar e-mail apenas quando a intenção for informar o frequentador sobre algum evento ou qualquer outro acontecimento. 

O e-mail também pode conter conteúdos relevantes a respeito de assuntos relacionados à igreja.

Produzir conteúdos ricos e que abordam de maneira aprofundada pautas que são do interesse do público da igreja é uma excelente maneira de manter os fiéis interessados e aumentar o engajamento deles.

Por exemplo, uma joalheria pode criar um material que fale sobre aliança ouro 18k personalizada, suas vantagens, de que maneira é fabricada, em que ocasiões é recomendada etc.

Uma igreja católica pode seguir a mesma ideia, e criar conteúdos que falem sobre seus costumes. Por exemplo, qual a história daquela igreja, quais os santos padroeiros, curiosidades sobre santidades brasileiras etc.

Também pode criar materiais exclusivos para ações, eventos e outros acontecimentos, de modo a manter os frequentadores sempre por dentro de assuntos que são do interesse deles.

Depois, é só enviar esses conteúdos ou o link do blog por e-mail para que ele seja divulgado a todos os membros da igreja.

2 – Divulgação de eventos

Algo muito comum entre as igrejas são os eventos, principalmente os beneficentes. Uma assembleia pode, por exemplo, organizar o dia da pizza para arrecadar fundos e ampliar o espaço onde será construído um salão paroquial.

Só que para o evento dar certo e conseguir os recursos suficientes, o evento precisa ser divulgado. E pelo e-mail é possível fazer isso, incluindo no conteúdo do e-mail informações a respeito de outros detalhes, como a data, hora e local do evento.

Quando a festa estiver mais próxima de acontecer, a igreja pode enviar um e-mail em formato de lembrete. 

Assim faria uma empresa de instalação de tela aço carbono perfurada, para lembrar seu cliente a respeito da data combinada para instalação.

3 – Comunicação direta com o público

É comum que as igrejas tenham um mural de informações que os fiéis podem consultar, para ficar por dentro de todos os acontecimentos e do que lhes interessa. No entanto, hoje em dia, as pessoas não têm tempo de ir até o local exclusivamente para isso.

Com a ajuda do e-mail marketing, o fiel terá acesso a tudo sobre a paróquia do conforto de seu lar, com muito mais rapidez, praticidade e tranquilidade.

Se alguma dúvida vier a surgir, o paroquiano precisa somente responder ao e-mail e se comunicar com a igreja. 

Portanto, mais do que apenas informar e divulgar, o e-mail é uma ferramenta de comunicação direta, que facilita a troca de ideias e informações entre frequentadores e instituições religiosas.

Conclusão

Para uma fabricante de porta de vidro banheiro, o e-mail marketing já não é mais nenhuma novidade, e a empresa sabe que trata-se de um dos principais canais de comunicação com seu público-alvo.

Para algumas igrejas, ainda é um processo que está no seu início, mas que tem trazido muita praticidade e vantagens para o dia a dia delas. 

E não somente das igrejas, como também de seus frequentadores que agora ficam por dentro de tudo de um jeito mais rápido.

Dessa forma, mais do que uma simples maneira de mandar um recado, o e-mail se tornou, para as igrejas, uma maneira inteligente e econômica de se comunicar com a sociedade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

5 dicas de como interagir com clientes nas redes sociais

As redes sociais mudaram a forma com as pessoas e empresas interagem diariamente. Elas alteraram conceitos que estavam enraizados, e diminuíram o abismo que existia na comunicação entre as marcas e os consumidores.

A internet, por si só, evoluiu a maneira como os veículos de comunicação são usados pelas empresas. Além disso, o público-alvo não é mais uma massa de pessoas desconhecidas, para onde as ações eram destinadas.

Hoje em dia, é possível conhecê-los a fundo, pois são vistos de maneira mais heterogênea pelas organizações.

Os veículos de comunicação, como a TV e o rádio, não são mais os únicos formadores de opinião. O estilo de vida das pessoas passou a ser influenciado, também, pelo que elas acessam na internet, principalmente nas redes sociais.

Inclusive, os consumidores já não são mais receptores passivos de conteúdos, mas também formadores de opinião de empresas.

Isso porque eles conseguem expressar suas ideias por meio de uma simples conta nas redes sociais, referentes a qualquer produto ou serviço. Portanto, há uma interação muito maior entre eles e as empresas.

Neste artigo, abordaremos sobre a importância das redes sociais para as marcas, além de dar dicas de como expandir sua interação com o público-alvo. Acompanhe!

Importância das redes sociais para as empresas

O uso dessas plataformas foi adotado por pessoas do mundo inteiro, e faz parte da rotina de todos. Trata-se de um espaço onde as marcas também precisam estar para interagir com seus clientes e potenciais clientes. Isso porque elas trazem possibilidades como:

1 – Divulgar produtos e serviços

De pequenas a grandes empresas, todas podem usar as redes sociais para divulgar seus produtos e serviços. 

Os meios tradicionais, como a TV custam muito mais caro, o que facilita para uma grande revenda de betoneira 120 litros, mas dificulta para um pequeno negócio.

Além disso, nessas plataformas, existem pessoas interessadas em todo tipo de venda, é possível criar anúncios orgânicos ou investir nos pagos, além de ter uma mensuração de resultados muito mais simples.

2 – Interagir com clientes

Por meio das redes sociais, as marcas conseguem um relacionamento mais estável e uma interação mais customizada com seu público.

É possível responder a comentários, dúvidas e reclamações, incluindo mensagens na caixa de entrada. 

Por conta disso, muitas marcas usam as redes sociais como um verdadeiro complemento – se não o principal meio – de seu atendimento ao cliente.

3 – Fortalecer a imagem da empresa

Uma fabricante de queimador a gás entende a importância de estar presente nessas plataformas, principalmente porque chega a ser estranho não encontrar o perfil de uma marca por lá.

Um perfil no Facebook, por exemplo, permite que os usuários encontrem publicações sobre os produtos e serviços, sobre ações da marca e outros materiais que reforcem a autoridade dela naquilo que faz.

Isso fortalece a imagem da empresa e aumenta a confiança por parte das pessoas, transformando-a em referência para o público.

4 – Compartilhar a visão da empresa

Podemos considerar essas plataformas como uma vitrine virtual das marcas. Isso porque elas podem mostrar, além do que vendem, sua visão, ou seja, aquilo em que acreditam, além de sua visão e valores.

5 – Segmentação do público

Cada vez que uma academia para mulheres postar algum conteúdo nas redes sociais, ela pode fazer a segmentação de suas publicações de acordo com as particularidades de sua audiência.

Por isso, ela é capaz de direcionar seus esforços para aquela parte do público que tem mais afinidade ou interesse com o que será publicado.

6 – Saber mais sobre os clientes

Nessas plataformas, os usuários compartilham muitas informações sobre si mesmos, tais como gostos e desejos. Essas informações podem ser valiosas para que as marcas se aproximem do jeito certo de seu público.

Para isso, elas devem estar sempre atentas para o que realmente é relevante para a sua audiência.

7 – Possibilidade de vendas

Assim como é possível interagir com o público e divulgar produtos e serviços, é possível vender. Isso acontece, em especial, com aquela audiência que possui certo engajamento e aparenta ser mais madura para comprar.

8 – Ambiente controlado pela marca

Seja uma revenda de piso de concreto polido ou uma loja de roupas para pets, o público de cada marca sempre estará nas redes sociais. Portanto, a interação e outras possibilidades são uma realidade para qualquer negócio.

9 – Informação em tempo real

Mensagens urgentes de uma marca podem ser comunicadas instantaneamente nessas plataformas. Isso é muito importante, por exemplo, para otimizar uma gestão de crise.

Nessas situações, é necessário que a empresa se posicione rapidamente, evitando que um problema ganhe maiores proporções.

5 dicas para interagir nas redes sociais

A internet se tornou o principal canal de comunicação atualmente, principalmente pelas redes sociais. Por isso, as marcas devem estar presente nas principais delas, que são:

  • YouTube;
  • Facebook;
  • WhatsApp;
  • Instagram;
  • Messenger;
  • Twitter;
  • LinkedIn;
  • Pinterest;
  • Skype;
  • Snapchat.

Pelo menos no Brasil, essas são as plataformas mais utilizadas, em ordem crescente, de acordo com o relatório “Digital in 2020”, realizado pela We Are Social e Hootsuite.

Mas antes de criar um perfil em cada uma delas, é importante analisar em qual delas se concentra a maior parte do público-alvo de uma empresa. A partir disso, é só seguir as seguintes dicas:

1 – Ofereça um bom atendimento

A instantaneidade é a característica mais marcante de qualquer rede social. Por isso, a interação acontece muito rápido e a todo momento. Sendo assim, os usuários têm pressa quando o assunto é atendimento on-line.

Por isso, se uma pessoa quer esclarecer alguma dúvida sobre projeto de incêndio, por exemplo, a empresa precisa responder as suas mensagens o quanto antes.

Dessa forma, é fundamental contar com uma boa equipe, com profissionais dedicados a responder qualquer dúvida pertinente à empresa, seus produtos ou serviços. E isso pode ser otimizado por meio do uso de um FAQ.

FAQ é uma sigla para Frequently Asked Questions e quer dizer “perguntas frequentes”, em português.

Por meio dele, é possível tirar as dúvidas mais frequentes dos consumidores, através de respostas que já estão prontamente disponíveis.

Essa estratégia responde a tudo de maneira rápida e padroniza respostas, evitando contradições que podem manchar a imagem da marca.

2 – Tenha um ritmo frequente de publicações

Para que a audiência interaja com uma empresa nas redes sociais, ela precisa manter uma frequência de publicações.

Portanto, as postagens precisam seguir um fluxo que não encha a timeline do usuário de atualizações, mas que também não permita que ele se esqueça da marca.

Uma boa dica para fazer isso é usar ferramentas de automação para as redes sociais. Com elas, a empresa consegue organizar de quanto em quanto tempo vai compartilhar posts em seu perfil.

Assim, ela consegue divulgar os conteúdos de seu site e blog, aumentando o engajamento das pessoas em seu perfil nas redes sociais.

3 – Falar a mesma língua dos clientes

Para se aproximar melhor do público-alvo e interagir com ele, nada melhor do que falar a mesma língua. 

Por exemplo, um estabelecimento de vistoria de transferência não vai usar o mesmo tom de voz ou linguagem de um pet shop.

São públicos diferentes e que interagem de maneiras diferentes. Por isso, ao descobrir qual é essa linguagem, utilize termos, emojis, imagens, vídeos e tudo que esteja relacionado à maneira de falar desse público.

Além disso, é importante evitar termos usados apenas por especialistas, além de jargões corporativos e outros componentes que dificultem o discurso.

4 – Entrar na conversa

Nem sempre uma marca precisa esperar que os clientes cheguem até ela. Isso porque uma excelente maneira de interagir é se engajar em outras conversas.

Nas redes sociais, as empresas conseguem encontrar muitas discussões que envolvam seu nome ou o tipo de produto ou serviço que ela comercializa.

Por isso, é interessante olhar essas discussões e participar delas. Inclusive, a maioria dos usuários prefere se relacionar com as marcas que conversam com seus consumidores.

Portanto, conversar com eles e também incentivar sua participação são excelentes maneiras de ser mais social nessas plataformas e melhorar a interação.

5 – Ser atencioso

Algo mais corriqueiro do que se imagina são pessoas correndo para os perfis das empresas nas redes sociais para expressarem sua satisfação (ou insatisfação). E é extremamente importante que as marcas deem atenção a elas nesse momento.

Se elas são constantemente ignoradas, mesmo quando fazem um elogio, acabam desistindo e buscando a concorrência. Portanto, se uma revenda de conexões pneumáticas recebeu um elogio, ela deve responder o mais rápido possível.

Conclusão

As redes sociais são verdadeiras companheiras das empresas, para que estas possam ter interação com o seu público-alvo. Elas facilitam a comunicação e ainda permitem que por meio disso, as empresas identifiquem seus pontos fortes e fracos.

Assim, tanto os clientes de uma fabricante de tinta térmica para telhado, quanto a própria empresa, conseguem estabelecer um relacionamento proveitoso e vantajoso para os dois. 

E por meio de estratégias simples, é possível conquistar o público e se tornar sua marca preferida.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba mais sobre Marketing de Relacionamento

O Marketing de Relacionamento, como o próprio nome sugere, é uma estratégia que visa melhorar a proximidade das empresas com o público, com o principal objetivo de fidelizar os clientes e garantir a satisfação dos consumidores.

Desse modo, a intenção é promover um relacionamento saudável, para que as empresas possam se destacar em um mercado cada vez mais exigente e competitivo.

Afinal de contas, todo mundo gosta de ser bem atendido em uma loja, conversar com vendedores simpáticos e fazer uma compra repleta de benefícios – fatores que são a base de todo o plano de marketing de relacionamento.

Por isso, qualquer empresa, seja ela um pequeno negócio de roupas, um profissional autônomo que dá aula de violão para iniciantes, ou uma grande multinacional, pode incluir o marketing de relacionamento dentro de seus projetos de divulgação.

O artigo de hoje vai mostrar mais sobre o que é marketing de relacionamento e dar dicas de como aplicar a estratégia. Acompanhe!

Mas, afinal de contas, o que é esse tal de Marketing de Relacionamento?

O marketing de relacionamento consiste em um conjunto de ações com a intenção de criar e manter um relacionamento positivo entre empresa e cliente. 

Assim, a proximidade é reforçada com a oferta de benefícios, que asseguram a fidelidade dos consumidores.

Ou seja, o grande objetivo do marketing de relacionamento é transformar os clientes em fãs da marca, para que eles possam colaborar com a divulgação, ao recomendar a sua empresa para outras pessoas.

Imagine, por exemplo, que você está buscando por uma criolipólise de placas, mas se deparou com uma grande afinidade de clínicas de estética. Diante disso, você resolveu optar por um estabelecimento indicado por uma amiga, pois ela disse que o serviço era ótimo, com bons preços e um atendimento diferenciado.

Isso é marketing de relacionamento!

A estratégia engloba alguns pontos principais, como:

  • Construção forte da marca;
  • Fidelização dos clientes;
  • Criação de autoridade no mercado;
  • Contato com o público em diferentes canais;
  • Comunicação próxima com os clientes.

O marketing de relacionamento cria uma relação contínua e progressiva com cada pessoa. Para isso, a estratégia pode fazer o uso de várias ferramentas, desde técnicas mais básicas até métodos elaborados, dependendo das necessidades de cada empresa.

Desse modo, ao construir uma boa fidelização dos clientes, a empresa torna-se referência no mercado, sendo possível conquistar novos consumidores e mostrar o diferencial da marca para o público.

5 dicas para implantar o Marketing de Relacionamento na sua empresa

Para criar um plano efetivo de marketing de relacionamento, o primeiro passo é implantar uma cultura de fidelização dos clientes junto aos funcionários, colaboradores e parceiros. 

Com isso, desde o primeiro contato, é possível estabelecer um bom relacionamento com os consumidores.

Quer dizer, o foco do marketing de relacionamento deve ser pensado para o cliente, desde o sistema de atendimento até o pós-venda, para que essa proximidade seja estendida para próximas operações, seja em produtos ou em serviços.

Abaixo, separamos algumas dicas de como implementar o marketing de relacionamento na sua empresa, que servem para qualquer negócio, incluindo serviços como quiropraxia preço diferenciado. Confira!

1 – Conheça os seus clientes

Já que o marketing de relacionamento é voltado aos clientes, é importante conhecê-los. Isso pode ser feito através de uma pesquisa de mercado, ou com a coleta de dados estatísticos sobre os consumidores.

Outra forma de conhecer os seus clientes é por meio de pesquisas de opinião. Por exemplo, depois de uma aula de música, você pode pedir o feedback do aluno, perguntar sobre o que ele gostou, quais são as críticas, etc.

As pesquisas de opinião podem ser associadas com algum benefício, como por exemplo, brindes ou participação em sorteios. Isso garante que as pessoas respondam mais e, com isso, a empresa tem à disposição uma grande quantidade de dados sobre os clientes.

2 – Faça a segmentação e personalize

O banco de dados dos clientes é fundamental para conhecê-los, mas ele costuma ter diversas informações, que devem ser bem utilizadas. Quer dizer, é preciso saber o que fazer com esses dados.

Um dos critérios para um relacionamento de qualidade é segmentar os perfis, segundo características mais relevantes, criando abordagens mais personalizadas.

Por exemplo, talvez o perfil de clientes que se interessam por um led para piscina seja diferente de um consumidor interessado em outro tipo de iluminação. Assim, ao conhecer as necessidades de cada um, fica mais fácil criar campanhas direcionadas.

Quanto mais detalhada for a segmentação, maiores chances a empresa tem de atingir o cliente ideal.

Leia também: As melhores estratégias de marketing para o ramo industrial

3 – Crie campanhas que incentivam o retorno

Uma maneira muito efetiva de construir um bom relacionamento com seus clientes é fazê-los voltar à comprar com você, por meio de ações que incentivam o retorno, como os programas de fidelidade.

Nestes programas, o cliente adquire um produto, como uma tinta impermeabilizante, e acumula pontos que podem ser revertidos em desconto nas próximas compras. 

Isso faz com que ele sinta a necessidade de comprar de novo, o que ajuda a aumentar as vendas, mas também abre oportunidades para entender melhor o cliente.

As pesquisas de satisfação com benefícios como brindes, também ajudam a incentivar o retorno dos clientes.

4 – Invista na produção de conteúdo especializado

A produção de conteúdo também é uma ótima aliada do marketing de relacionamento. 

Uma das ferramentas mais poderosas é o e-mail marketing, que permite o envio de materiais diretamente aos clientes, de acordo com o perfil de cada um.

Desse modo, é possível criar uma relação de proximidade orgânica, além de contribuir com ações de pós-venda. 

Por exemplo, depois da venda de um gerador eólico, a empresa pode enviar e-mails com dicas de manutenção do equipamento, cuidados, entre outros temas relacionados.

Cartões de parabéns e envio de mensagens em datas comemorativas, por e-mail, também é uma maneira de contribuir com a relação de proximidade.

As ferramentas de automação de marketing podem ajudar muito na produção de conteúdo em e-mail marketing. Elas são capazes de personalizar o envio de mensagens, a partir dos dados de cada cliente, tornando o material único. 

Além disso, a automação permite o envio automático, agilizando a estratégia de marketing.

5 – Faça a mensuração de resultados

Assim como todo planejamento de marketing, também o marketing de relacionamento apresenta resultados que devem ser acompanhados e mensurados pelos estrategistas. Isso ajuda a perceber se certa ação está realmente sendo positiva.

Por exemplo, em uma campanha de divulgação de um extintor co2, com programa de fidelidade, é necessário analisar se o número de clientes participantes é suficiente. 

Desse modo, em caso de resultados negativos, a empresa pode planejar uma nova estratégia.

No caso do e-mail marketing, é possível acompanhar a frequência no envio de mensagens, bem como monitorar respostas, verificar se o e-mail resultou em mais ou menos vendas. Ou seja, compreender o que funcionou ou não, para incorporar as lições aprendidas.

A importância de ouvir o cliente

O marketing de relacionamento é uma via que beneficia a ambos. Afinal de contas, não basta apenas falar com o cliente – é preciso ouvi-lo. Por isso, é importante contar com os canais certos para uma comunicação efetiva e assertiva.

Muitas empresas não conseguem implantar a estratégia do marketing de relacionamento com sucesso justamente por não contar com um meio adequado para receber reclamações, ou para responder às perguntas dos clientes.

Em outros casos, o canal pode até existir, mas não funciona como deveria.

Por isso, também é necessário pensar nos melhores meios para manter o contato com o cliente. Até mesmo as próprias redes sociais podem auxiliar nisso, se a empresa focar em um plano de resposta diretamente nessas plataformas.

A dica é ter um canal de ouvidoria menos burocrático e mais preparado para o diálogo transparente, objetivo e eficiente com o consumidor.

Conclusão

O marketing de relacionamento pode ser um artifício bastante vantajoso para as empresas, visto que ele tem como principal foco o relacionamento com o cliente e a construção de uma marca forte, com autoridade no mercado. 

No entanto, para a conquista de resultados positivos, é preciso conhecer bem quem são seus clientes, como eles se comportam e quais seus interesses, para focar em ações assertivas e que tenham impacto na empresa (como o aumento de vendas e fidelização do público, por exemplo).

Além do mais, a cada dia que passa, as pessoas se voltam mais para as empresas que ofereçam um bom atendimento e tenham conteúdos personalizados, longe da propaganda massiva e invasiva de antes. 

Daí a necessidade de investir em marketing de relacionamento, afinal de contas, todo mundo gosta de ser bem atendido e o principal: ser ouvido.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

As melhores estratégias de marketing para o ramo industrial

Engana-se quem pensa que a indústria também não merece um bom planejamento de marketing. Aliás, existem estratégias voltadas especificamente para esse ramo de negócios, com técnicas próprias para a divulgação de negócios B2B (Business to Business) e para o setor industrial.

É um marketing especificamente voltado para outras companhias, ou seja, ele não se destina ao consumidor final.

Para entender melhor, imagine que uma indústria venda chapa de ferro fundido para outra indústria que trabalha com a transformação de metais. O marketing industrial trabalha exatamente nessa relação: de venda de uma organização para outra.

Vale dizer que as indústrias são responsáveis por cerca de 12% do PIB nacional, com grande participação da economia global. 

Apesar dos atuais desafios de crescimento, com os cenários de recessão econômica, o marketing tem sido um grande aliado para o setor, propondo novas estratégias de inovação.

O artigo de hoje vai mostrar quais são as melhores estratégias de marketing para o ramo industrial e dar dicas de como implantar essas técnicas dentro da sua empresa.

Quer saber mais? Então, acompanhe a leitura!

O que é Marketing Industrial?

O marketing industrial pode ser definido como uma ação entre duas empresas, sendo uma solução especificamente criada para companhias, com o objetivo de direcionar a mensagem para outras organizações.

Portanto, diferentemente do marketing convencional, estamos tratando de uma estratégia personalizada, que lida com um público qualificado e que tem informações sobre o negócio. 

Ou seja, o marketing industrial trabalha com um recorte de pessoas que têm um conhecimento diferente do grande público.

Por exemplo, quando se fala de solda exotérmica, normalmente as indústrias já sabem do que se trata. Daí, o marketing industrial precisa formular campanhas para divulgar esse serviço, levando em conta o conhecimento prévio das demais organizações.

Além disso, a ideia do marketing industrial é construir relações sólidas e duradouras entre as empresas, criando condições para a existência de grandes vendas a longo prazo.

Quer dizer que a relação de compra não se dá somente entre a venda de um produto ou serviço, mas da criação de acordos entre as companhias, referentes tanto a produção, quanto a comercialização e envio de insumos.

Percebe-se que o processo de venda entre empresas é mais complexo e, por conta disso, exige outros tipos de estratégias.

Uma das técnicas inclui o uso de ambientes digitais, acompanhando o novo comportamento do consumidor B2B. 

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo Google, cerca de 89% dos compradores entre empresas pesquisam por fornecedores na internet, se envolvendo com a marca e descobrindo novos conteúdos antes de fechar acordos.

Na prática, se um centro de armazenagem está procurando por uma empilhadeira manual, o estabelecimento irá fazer uma busca na internet e, somente depois de avaliar as opções, fará uma escolha que não resulta somente em uma única compra, mas sim, pode valer um relacionamento duradouro.

Por isso, o marketing industrial envolve uma série de estratégias para a criação de conteúdo, presença digital, relacionamento com o público e outras ações que potencializam o brand-awareness (consciência de marca), o ROI (Retorno sobre o Investimento) e a conquista dos leads (potenciais clientes).

4 estratégias de marketing industrial

Quando usado de maneira estratégica, o marketing industrial é capaz de aumentar consideravelmente os lucros de uma organização. 

Além disso, essas ações são capazes de diferenciar as empresas da concorrência, colaborando com a criação de valores e impactando de forma positiva os clientes.

Contudo, é preciso escolher bem as estratégias, já que, principalmente o ambiente digital, oferece diversas ferramentas para divulgação e promoção de marca.

Sendo assim, separamos algumas estratégias que podem ser usadas no marketing industrial e são válidas para todas as indústrias, desde as que trabalham com o fornecimento de matéria-prima, até as de transformação de insumos, como o ramo de gravação a laser. Confira!

1 – Use técnicas de SEO

O SEO (Search Engine Optimization), ou otimização para os mecanismos de busca, é um conjunto de técnicas aplicadas em website e blogs, com o objetivo de melhorar a classificação de uma página nos buscadores, como o Google.

Ter um bom posicionamento entre os resultados de pesquisa é algo extremamente importante, especialmente para os negócios B2B.

De acordo com o próprio Google, 71% dos pesquisadores de B2B fazem uma busca com pesquisa genérica, realizando uma média de 12 pesquisas, antes de decidir por uma marca específica.

Uma das principais técnicas de SEO é o emprego de palavras-chave ao longo de um conteúdo. Por exemplo, o termo “regua digital”, quando aplicado em um artigo de blog, pode receber uma boa classificação, pois o Google irá direcionar o seu conteúdo para os usuários que buscarem este componente.

Além das palavras-chave, o SEO também engloba outras estratégias, como:

  • A produção de conteúdo relevante;
  • O uso de hiperlinks ao longo do material;
  • Criação de ativos de marketing digital (conteúdos compartilháveis);
  • A construção de um site responsivo para dispositivos móveis.

Quanto melhor o seu posicionamento dentro do Google, maiores são as chances de fechar vendas e aumentar a lucratividade.

2 – Invista em links patrocinados

Os links patrocinados nada mais são que anúncios pagos dentro da internet. Por exemplo, quando procuramos por uma estrutura metálica para telhado no Google, os links patrocinados aparecem antes dos resultados de pesquisa orgânicos (não pagos).

Essa estratégia pode ser altamente vantajosa para empresas que desejam obter resultados a curto prazo, como o aumento de visitantes no site.

Além dos links patrocinados no Google, as próprias redes sociais contam com plataformas para a criação de anúncios. 

O Facebook Ads, por exemplo, permite a segmentação da propaganda, ou seja, o conteúdo somente aparecerá para pessoas realmente interessadas no seu negócio.

3 – Esteja presente nas redes sociais

Muitas pessoas acreditam que as redes sociais somente são válidas para empresas que vendem diretamente para os consumidores finais. 

Entretanto, esses canais também podem ser usados para a divulgação de produtos e serviços B2B.

Além dos anúncios patrocinados nas redes, para anúncio de produtos, como um barramento neutro, direcionado para um público específico, as redes sociais também podem ser consultadas por outros interessados, que desejam pegar informações sobre a empresa.

De acordo com informações da pesquisa Social Media Trends, cerca de 94% das empresas estão presentes nas redes sociais, incluindo os negócios B2B.

Veja também: Saiba mais sobre Marketing de Relacionamento

3 – Produza conteúdo de qualidade

O marketing industrial requer uma produção de conteúdo de qualidade. 

Isso pode ser feito com o compartilhamento de textos em um blog, mas também a produção de outros materiais interessantes, como um vídeo tutorial do funcionamento de uma chave de impacto pneumática, e outras opções.

Por meio da produção de conteúdo, a sua empresa pode não somente oferecer informações relevantes acerca de um produto ou serviço, mas também educar o seu público sobre algumas especificidades do seu negócio.

Além do mais, é por meio de conteúdos que a sua marca alcança mais visibilidade e é capaz de se tornar uma autoridade no segmento.

Como consequência, há um destaque maior da concorrência, o que resulta em mais visitantes para o seu site e, muito provavelmente, mais acordos fechados.

Para produzir conteúdo de qualidade voltado à matéria-prima, é importante falar sobre prazos e cadeia logística, fatores que influenciam a decisão dos fornecedores, pois eles querem firmar um acordo para não comprometer a produção.

Sendo assim, no marketing industrial, o planejamento é a chave da produção de conteúdo, envolvendo a análise de mercado em que a sua indústria está inserida, bem como a identificação do público-alvo.

Quando bem feito, o marketing de conteúdo é capaz de gerar até 3 vezes mais leads, além de ter um custo 62% menor, em relação às demais campanhas de divulgação.

4 – Faça uso de ferramentas de automação de marketing

As ferramentas de automação de marketing também são muito eficazes para o ramo industrial, pois elas abrem possibilidades de ofertar conteúdos interessantes, de maneira segmentada e personalizada.

Há diversos recursos que podem ser usados, como por exemplo, a automação de e-mail marketing, ou mesmo os próprios elementos dos anúncios patrocinados, como o Google AdWords e o Facebook Ads, que oferecem inúmeras possibilidades de segmentação.

Conclusão

O marketing industrial tornou-se indispensável para os negócios B2B, em especial com o crescimento da internet, expansão dos meios de comunicação e a mudança do comportamento dos consumidores.

Hoje em dia, é preciso estar presente no ambiente virtual, muito por conta do grande impacto dos meios digitais, mas também pela possibilidade de alcançar reconhecimento, que se traduz em vendas e fidelização dos clientes.

Diante desse cenário, é importante conhecer as inúmeras estratégias de marketing digital e, com isso, incrementar o planejamento da sua indústria na divulgação, captação de clientes e construção de relacionamentos com o público.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

Entenda a importância do funil de vendas para casa e construção

O funil de vendas é uma estratégia muito eficiente para acompanhar a trajetória dos clientes, desde o primeiro contato com a empresa, até o fechamento do negócio, que pode ser a compra de um produto ou serviço.

Para o ramo da casa e construção, o funil ajuda a perceber quais são os interesses dos consumidores, sendo possível orientar estratégias específicas e, com isso, conquistar melhor o público.

Afinal de contas, não são todas as pessoas que se interessam por um elevador de carga, por exemplo, já que este equipamento é bastante singular, além de ser usado somente em alguns trabalhos dentro do setor de casa e construção.

Diante do exemplo, percebe-se que não vale a pena “atirar para todos os lados”, mas sim, focar em um perfil específico, direcionando as ações de marketing e, com isso, tendo melhores chances de fechar uma venda.

Portanto, o artigo de hoje vai mostrar a importância do funil de vendas para casa e construção e como usar a estratégia na sua empresa. Ficou interessado(a)? Então, acompanhe a leitura!

O que é funil de vendas?

O funil de vendas, ou também chamado de pipeline, é uma técnica que mostra a jornada do cliente. Através da representação gráfica, é possível acompanhar todo o caminho que o consumidor realiza, até decidir pela compra.

O principal objetivo é fazer o acompanhamento do público, desde o momento em que ele toma conhecimento de uma solução vendida, até o fechamento no negócio.

Pensando no ramo de casa e construção, podemos usar como exemplo a seguinte situação: quando um usuário procura na internet um bloco concreto e se depara com um artigo da sua empresa, ele está iniciando o caminho pelo funil. A conclusão será no momento da compra.

O funil de vendas é formado por um conjunto de etapas e gatilhos, que visam dar um suporte à jornada de compras. Ou seja, é possível visualizar quais ações podem influenciar na decisão do cliente e, assim, aproximá-lo da finalização do negócio.

Mas como funciona o funil de vendas?

Em primeiro lugar, precisamos ter em mente que o processo de compra não é homogêneo. Ou seja, os clientes não buscam por uma manta impermeabilizante e logo de cara realizam a compra. Ao contrário, esse processo ocorre por etapas.

Isso quer dizer que o cliente passa por vários momentos, que revelam se ele está realmente próximo de realizar a compra, ou prestes a desistir.

Desse modo, a empresa pode usar de artifícios para influenciar o cliente e, com isso, contribuir para que ele realmente se interesse em fazer a compra – incluindo o momento em que ele ouviu falar da solução pela primeira vez, até o pós-venda, quando ele pode recomendar o seu produto.

Quer dizer que o funil de vendas é usado para determinar o nível de maturidade do cliente, em relação à decisão de compra. O modelo é dividido nas seguintes partes:

  • Topo de funil: o momento da descoberta;
  • Meio de funil: consideração da solução;
  • Fundo de funil: a decisão de compra;
  • Pós-venda: fidelização do cliente.

Ao compreender cada uma das etapas, é possível usar de ferramentas para guiar os clientes e, com isso, aumentar as chances de venda.

As etapas do funil de vendas: da descoberta ao pós-venda

O funil de vendas pode ser usado tanto para a comercialização de produtos quanto serviços, como um trabalho em altura, por exemplo.

Em geral, ele é dividido em quatro partes, mas nem sempre a etapa de pós-venda está incluída na estratégia, já que o cliente concluiu a compra.

Neste artigo, resolvemos considerar o pós-venda, pois acreditamos que a construção de um relacionamento saudável com os clientes é tão importante quanto as técnicas de venda.

Topo do Funil (ToFu): aprendizado e descoberta

O topo do funil, ou ToFu, é a etapa da consciência. Até aqui, a pessoa não conhecia o seu produto ou serviço, sendo indiferente à própria necessidade. Quer dizer que ela não buscava nenhuma solução, pois desconhecia a demanda.

Mas ao ter o primeiro contato com a sua empresa, a pessoa compreende que existe um gaps e irá procurar mais informações sobre o produto ou serviço.

Por exemplo, quando alguém precisa fazer uma limpeza pesada, ela pode buscar por algumas alternativas e a sua empresa pode oferecer o serviço de hidrojateamento, que até então, poderia ser desconhecido.

Diante disso, o topo do funil é o momento de se colocar como especialista.

Isso pode ser feito com o fornecimento de materiais informativos, para ajudar o visitante a diagnosticar o problema. Assim, quando existir uma dúvida, ele irá procurar por você.

Dentro do marketing digital, o topo de funil é o local em que estamos lidando com os usuários visitantes do seu site. Ou seja, eles chegaram até a sua página de alguma forma, mas ainda não têm conhecimento suficiente sobre o seu negócio.

Por isso, é a hora de educá-los, por meio de conteúdos explicativos, ricos e relevantes. Desse modo, há mais chances de converter os usuários em leads (potenciais clientes) e fazer com que eles andem pelo funil.

Meio do funil (MoFu): a consideração de uma solução

O meio do funil marca a passagem da primeira para a segunda etapa do funil de vendas. Aqui, ocorre o reconhecimento do problema pelo cliente.

Em resumo, significa que o usuário leu sobre o assunto, conhece o seu negócio e reconheceu que precisa de uma solução. Por isso, ele busca alternativas para seus problemas e, se ele se interessar pela sua empresa, há chances de fechamento do negócio.

No meio do funil estamos lidando com os leads, que são os usuários que já consumiram o conteúdo e, para aprofundar os conhecimentos, forneceram algum contato para a empresa.

Por exemplo, o usuário pode fornecer um e-mail em troca de um webinar sobre os procedimentos técnicos para o uso de uma solda aluminio.

Importante ressaltar que o lead ainda não sabe muito bem como resolver o seu problema, por conta disso, ele considera diversas opções, incluindo a compra de um produto ou serviço. 

Mas para isso, é preciso que ele não tenha dúvidas sobre a qualidade do seu negócio.

É fundamental deixar claro para os leads que a intenção da empresa é ajudar e não somente vender o produto ou serviço. Ou seja, é preciso estabelecer uma relação de confiança, para que o lead se sinta confiante para fechar negócio.

Fundo do Funil (BoFu): a realização da compra

O fundo do funil concentra a decisão de compra. Nesta etapa, temos os leads qualificados, que são os potenciais clientes que já passaram por todo o processo de educação e estão prontos para entrar em contato com o vendedor, para concretizar a compra.

O lead qualificado sabe que não irá conseguir resolver o problema sozinho, por isso, sabe que precisa adquirir um produto ou serviço.

Por exemplo, ele já percebeu a necessidade de uma tela para mosquito, depois de avaliar as várias opções para conter insetos dentro de casa.

No fundo do funil, o vendedor pode dar aquele famoso “empurrãozinho”, para influenciar o lead a fazer a compra. Para isso, vale a pena destacar os benefícios do produto ou serviço, bem como o melhor custo-benefício.

Pós-venda: o relacionamento com o cliente

Apesar do pós-venda não fazer parte de todos os funis de venda, ele é uma etapa importante nas estratégias de marketing para o ramo da casa e construção. 

Afinal, é possível firmar um relacionamento com os clientes, fazendo com que eles se tornem “fãs” da marca e, assim, possam recomendar a empresa para outras pessoas.

Uma maneira é perguntando a opinião dos clientes após a compra. Por exemplo, o que o consumidor achou da proveta graduada, se há um elogio, crítica ou dúvida.

No pós-venda, a empresa deve concentrar esforços para ouvir o cliente, além de manter um contato regular com o público, para que eles não se esqueçam do seu negócio.

Conclusão

O funil de vendas é uma representação gráfica, usada para identificar as etapas da jornada de compra do cliente, sendo possível acompanhar aonde ele está – mais próximo ou mais afastado da concretização do negócio.

Esse modelo é muito usado dentro das estratégias de marketing, visto que ele pode ajudar as empresas a compreenderem o que o cliente quer e qual o melhor momento para enviar um determinado conteúdo.

Além disso, por meio do funil de vendas, a produção de materiais de divulgação torna-se mais assertiva e direcionada, com conteúdos personalizados, orientados às necessidades de cada cliente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.